Quem escreve é ela

Eu sou apenas o caminho

Por alguma força que à foi conferida, ela sabe o momento exato que eu preciso escrever e se utiliza de todas as palavras certas, assim como em outro momento eu fazia com as palavras.

Me sinto meio controlado.

Toda vez que consigo ser eu na sua presença, algo ali dentro dela se mexe, e algum medo que a tenha esquecido vem ao peito, dá pra ver aquela frieza nos grandes olhos aquecer ao me ver bem.

Tento me descolar dessa segunda pele, do frio na barriga ao vê-la, mesmo que com outro que ainda mexo com ela. Alimento um lobo que definha em estado terminal, e eu só penso em poupa-lo do sofrimento, sacrificando-o de uma vez.

Ela seguiu a vida e eu preciso seguir a minha, por isso peço que me deixe ir, porque se der tempo, eu quero ser feliz e eu preciso aprender a fazer isso sem você.

Daniel Pasini