Bom moço de bem? O caô do bom rapaz: Homi, não seja ogro em pele de escoteiro ou se fôda insistindo.

Crise tem um propósito natural e útil: Leva um a mostrar seus troços e traças. E nessa, só não tem mais gente butinando a cara alheia porque não dá pra ficar pisando em falso. Na bonança todos brindam, já na tempestade não falta gente em cima do mastro “salvando” o próprio rêgo, e aquele ser mitológico, o cidadão de bem -pessoas que se acham boas- mas pisam no primeiro pescoço a caminho do bote.

Isto é óbvio e ardente na atual degringolada social, política, econômica e humana que nosso país e mundo estão sofrendo. Mas tem uma questã mais íntima, na mesma toada, que é cultural, no nível nuclear e pessoal, e é doente, muito doente. Falo de nós, rapazes, homens, detentores de pinto, testosterôneos. Nós, quando em uma crise conjugal (de toda sorte) mostramos muitas vezes, quase todas, o pior que eras de privilégio embutiram em nossas fracas mentes. O bom moço vira o monstro macho Alfa, e lida com uma crise como tal, vocifera e machuca pois perde o que acha ser propriedade.

Assim como o dito cidadão de bem só o é até onde convém, o moço bão, também. E ponhemos a mão na consciência antes de bradar que NEM TODO! Pois parabéns pros já iluminados mas de exceção basta o estado. A real é que tanto esquerdomachos quanto coxinhasdepulôvermaridosexemplares podem estar cobertos de intenções e discursos mas ou não sabem lidar (nos “melhores” casos) ou simplesmente são perversos disfarçados com problemas sérios e ou pitadas de psicopatia.

Se você, amigomem, é dos que não sabe lidar, admita, analise, olhe pra trás, pras merdas que já fez e os danos que causam na pessoa que você disse/diz amar. E passe a agir SEMPRE como uma pessoa massa que diz ser e da qual o mundo anda tão necessitado. Exercício simples de empatia, evolução, auto análise, aprendizado e cuidado. Converse com seus amigos, não pra tentar justificar suas cagadas, auto reforço e viés de confirmação podem ficar no recreio ou no bar que seja. Seja crítico consigo, caceta, independente se tu acredita no e.t. bilu ou na exiguidade da vida, seja crítico! Nem tua mãe gosta tanto assim de você quando és um cuzão, ela pode não perceber ou admitir, mas sente a dor de outra mulher, ainda mais a que sofre nas mãos da própria criação.

Conversemos com elas, eles, terapeutas, enfim, prestenção, sinta vergonha porra, admita e melhore. Vai chorar meio litro de repressão e frustração, segura esse monstro, ele é dividendo de uma equação bosta e vil, pois quebre-a. Caso contrário, de nada adianta ser fofo enquanto tá bom e um escroto quando eventualmente vier a crise. Lembre-se que um sushi delicioso pode causar traumas se te evacua as tripas e nesse caso, nós homens, quase sempre somos um bando de peixe até que gostoso por fora, porém uma enorme cagada esperando por acontecer.

E se a empatia não é teu forte, saiba que nas mesmas redes que se pintas o pinto iluminado, se viram sem muita piedade contra sua pretensa impunidade. E gente perversa tem mais sabe o quê? Tem mais é que se fudê. Sem incitações de ódio aqui, tem mais é que ficar na mão, que lhe sobrem as punhetas. Que a única dor que o macho orgulhoso do futuro cause seja a do excesso de onanismo.