Voltas

Homens que controlam o tempo
Tempos que controlam o tempo
Tempos separados em espaços dimensionados
Relógio sem números

Você acordou que horas?
Está acordado?
Ou sonhas de acordo com o que lhe é vivido?
Eu me pergunto
Se me recordo de alguma coisa que aconteceu
Aquele dia me trouxe um passado que não vivi
Ano que vem, vou trazer uma verdade inóspita do ser
E quem vai acender a luz?
Me traga uma dose de percepção, por favor.

Todos os dias me vêm aquele mesmo ditado
Se tudo que temporiza o agora
Vai fazer sentido depois
É curioso.
Procuro viajar para poder abrir todas as portas fechadas
Senão todas,
Pelo menos as que precisam ser abertas.

Ando a uma distância considerável dos meus instintos mentais
Porque eles sempre me trazem o que é duvidoso
E me pego mais confuso, cada vez mais

Um daqueles dias em que a memória se traveste de atuação.

O que fazer com meus impulsos repletos de inevitabilidade?
Não queria que tivessem me ensinado tudo
Porque o nada se faz mais claro e atencioso.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.