Cidade Velha

Era uma manhã de verão e o sol nasceste despontara no horizonte. À beira da baía de Guanabara, entre os morros Cara de Cão e Pão de Açúcar, havia um pequeno istmo onde um jovem índio valente se banhava e admirava a luz do sol nascente. Aquela porção de litoral tão aprazível e delicada não guarda qualquer resquício hoje em dia, mas ele não tomava consciência disso em pleno século XVI. Para ele, só importava o deslumbrante episódio paisagístico. As águas doces e cristalinas da baía se misturavam ao mar aberto, mas ali carregavam a força de um rio e atingiam-lhe o corpo seminu. As árvores fagueiras escondiam as areias e o istmo, formando uma clareira, onde o índio parecia um animal selvagem em busca de um refúgio. Ali, ele se protegia de outros animais selvagens e de outros da sua espécie. A beleza da paisagem constituía um cenário majestoso em tons de verde e azul. O dia era tão belo que parecia ter sido constituído por um poeta épico. E o vento, ao atravessar as copas das árvores constituía delicada sinfonia, milimetricamente construída para o deleite daqueles que apreciam a delicada música da natureza intocada pelas mãos humanas. Não bastasse toda esse espetáculo colorido, o istmo era uma visão irresistível com sua bela clareira protegendo quem se arriscava a banhar-se apreciando a visão dos morros majestosos e verdejantes que assim formavam uma bela imponente cordilheira. Ou apreciar o frescor da água doce límpida da baía, que ao tocar nos dedos e ser jogada ao sol, tornava-se prismas de sete cores. O índio moreno de sorriso farto se entretinha naquele pedaço de paraíso. Acauã, cria da tribo dos tupinambás, mal sabia que aquela porção de terra abrigaria a Cidade Velha de São Sebastião do Rio de Janeiro. Quando Acauã se levantou da areia clara e fina, percebeu que naves estranhas haviam adentrado as águas da baía. Estranhou que aquelas embarcações estivessem ali, já que nunca vira nada igual antes. Eram grandes caravelas de madeira, com velas brancas esvoaçantes ao vento, das quais cruzes vermelhas se destacavam.