E os suíços foram às urnas votar por um plano de salário básico para todos. O valor da proposta? 9 mil reais. Em cash. Pra cada cidadão, independente de estar trabalhando ou não. Todo mês. Um bolsa família e tanto, diz aí.

A ideia parece irresistível. Já pensou poder caminhar até uma urna num domingo qualquer e poder decidir um troço como esse? Quem em sã consciência negaria receber 9 mil reais por mês sem precisar fazer qualquer esforço?

Pois é. Tem um povo aparentemente doido o suficiente para isso: os suíços.

Segundo as projeções, 78% dos eleitores do país rejeitam a proposta, que não é nenhuma novidade por lá. Nos últimos anos, o plebiscito para decidir uma renda básica vem sendo prática recorrente. E vem sendo repetidamente derrotado nas urnas.

E não pense que a loucura termina aí. Rejeitar um salário básico universal de 2,2 mil euros não é a única novidade. Nos últimos anos, através de plebiscitos, os suíços já negaram um sistema público de saúde, a taxação sobre grandes fortunas, o fim dos cassinos, o tabelamento dos preços de livros, um limite de salários para executivos e a diminuição da idade mínima para a aposentadoria. Medidas que muito provavelmente nós não pensaríamos duas vezes antes de aprovar.

“Ah, mas os suíços já são ricos”, você deve estar pensando. E você tem razão. Só tem um problema: a riqueza de um país não é um negócio que nasce no galho de uma árvore. Como parece bastante óbvio, países são pobres porque cresceram pouco ou não cresceram por um longo período de tempo – e países são ricos porque tomaram um caminho exatamente oposto. É o caso da Suíça.

A mentalidade mais liberal da população suíça não é um mero capricho possibilitado graças à posição privilegiada que eles ocupam hoje. Pelo contrário: é exatamente o que explica a riqueza atual deles. Ninguém alcança essa posição por osmose. Os suíços viviam num país de terceiro mundo há apenas dois séculos – como era, aliás, a condição de todos os demais países do planeta. Se eles conseguiram alcançar esse grau de desenvolvimento é, afinal, porque apostaram nessa visão mais liberal desde o começo. A Suíça é o quarto país com a economia mais livre do mundo. E é o sexto entre os países que mais respeitam os direitos privados de propriedade. É aqui que mora o segredo.

Parece loucura pra gente rejeitar uma proposta de uma renda mínima de 9 mil reais por mês, como fizeram os suíços? Parece loucura pra eles que a gente possa sonhar um dia nos tornarmos desenvolvidos com uma mentalidade tão atrasada como essa.

Like what you read? Give Danilo Peres a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.