Areias do Tempo

Por que os seres vivos se forçam a viver sob esta estrela amarela emissora de calor? O nascimento devia suceder algo maior, apenas aguardar as areias do tempo transcorrerem para o outro lado da ampulheta se tornou um exercício muito monótono, pelo fato delas insistirem em percorrer o mesmo trajeto. O cotidiano se tornou uma montanha russa, presa a um único ponto ela continua se movimentando em círculos olhando sempre o mesmo horizonte, se desgastando tentando sair do lugar sem ter contato com o chão acreditando que o esforço um dia será recompensado, a questão é não desistir. De maneira semelhante as tecedeiras seguem tecendo minha mortalha com um único fio, utilizando um tear para guiar a linha pelo caminho mais conveniente.