“Na obra “Alice no país das maravilhas”, Alice cai. Ela está atrás de um coelho e cai em um mundo desconhecido (na verdade, a menina cai dentro de si mesma). Entre os inúmeros personagens da obra, temos um coelho que está sempre atrasado, correndo para lá e para cá com o relógio na mão e o outro é um gato do qual somente aparece o sorriso, ficando visíveis os dentes e às vezes, o rabo.

Há uma cena que quero comentar: o encontro de Alice com o gato. Na cena, Alice está perdida, e de repente, vê no alto da árvore o gato. Ela olha para ele lá em cima e diz assim:

Alice:“Você pode me ajudar?” 
Gato: “Sim, pois não.” 
Alice:“Para onde vai essa estrada?”
Gato:“Para onde você quer ir?”
Alice:“Eu não sei, estou perdida.”
Gato: “Para quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve.”

Quantas pessoas se encontram assim? Perdidas? Se você não sabe onde está, assim como Alice, como saberá para onde vai? Se qualquer caminho serve para você, então, quem está no controle do barco de sua vida? O acaso ou você? Se sua vida está um verdadeiro “deixa a vida me levar vida leva eu”, está na hora de você parar e pensar se realmente é isso que quer para sua vida. Onde você está? Para onde quer ir? E talvez a principal de todas as perguntas: Quem é você?

O ponto inicial de qualquer jornada ou viagem, se inicia sabendo onde se está. Senão, poderá querer chegar à China e acabará indo para a Grécia. Nada a ver, não é mesmo? E quantas pessoas chegam ao seu destino e percebem que não era para estar na Grécia e sim na China? E percebem que perderam um tempão, rumo ao lugar que nada tem a ver com os seus sonhos, metas e objetivos?

Foram usadas várias metáforas acima para ilustrar que a melhor, senão a única forma de atingir o que você quer e ser feliz de verdade, é o autoconhecimento.“

- Texto utilizado no curso Empretec SEBRAE

Like what you read? Give Danilo Yamamoto a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.