Eu poderia ter desistido naquele dia em que eu ouvi que eu talvez não pudesse mais andar. Poderia ter desistido naquele dia em que eu fui submetida a diversos procedimentos cirúrgicos. Eu poderia ter desistido na primeira decepção, no primeiro desencontro, no primeiro tombo, na minha lágrima, na primeira queda ou na primeira partida. Eu poderia ter desistido no primeiro diagnóstico, na primeira crisa, na primeira angustia ou na primeira vez que me mediquei. Eu poderia ter desistido quando minha cabeça mandou meu corpo me machucar, quando eu prendi a respiração pra sumir ou quando eu tentei desviar uma dor causando outra.

Mas eu continuei. Eu lutei. Eu dei cada passo com toda minha força que ainda restava e pude transforma-la em uma força maior conforme eu enfrentava os meus medos. Eu aprendi a andar de novo, aprendi que uma cirurgia mexe mais com nosso psicológico do que é possivel explicar em palavras. Descobri que as pessoas sabem ser cruéis e mentir sobre sentimentos. Descobri também que as pessoas vão embora quando não sabem lidar com a dor do próximo. Mas eu estava la, dando um passo por vez, enxergando um futuro incerto, porém, eu sempre tive tanta certeza que eu faria ele dar certo.

Essa minha força em não desistir, em continuar que acabou inspirando pessoas e principalmente inspirando a mim. Eu pude conhecer pessoas incríveis, viver experiencias difíceis, porém, esclarecedoras. Eu aprendi a amar, odiar e perdoar. Aprendi que talvez algumas pessoas vão entrar no nosso caminho pra nos ensinar algo, mas depois, elas vão embora… porque querem ou porque é o destino delas, e o meu. Aprendi que cada um que entrou em minha vida, se tornou especial. Cada qual de sua maneira unica que me encantou, cativou, decepcionou e me orgulhou. Eu sou quem eu sou graças a todas essas experiencias, as quedas e a força que tive para me levantar. Eu sou quem eu sou por cada pessoa que atravessou meu caminho, me dando ensinamentos bons e ruins, que seguraram minha mão e outras que tentaram me derrubar. Eu sou quem eu sou por tudo o que eu vivi até hoje e como eu poderia não ser grata a cada uma delas, a cada momento e a cada coisa que aconteceu para me tornar quem eu sou?

danielamarqsfar

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.