Ai um cartão de embarque…

Segundo meu marido eu não posso ver um que saio correndo. E tenho que dizer, que nisso ele está completamente certo! A-M-O uma viagem.

Viajar pra mim é como me apaixonar novamente. Dá aquele frio na barriga ao sair de casa, pegar um táxi em direção ao aeroporto e pensar que se possa ter esquecido algo muito importante. Quem nunca…

A ansiedade enquanto se espera o voo ser chamado pela voz rouca da aeromoça, é como esperar alguém muito querido chegar. Sabe quando aquela pessoa que ama está longe por muito tempo e você fica olhando pra dentro do saguão de desembarque pra ter uma visão dela, nem que seja de relance. É assim que me sinto ao aguardar meu embarque.

E quando se chega na cidade de destino. Os cheiros. As pessoas. As imagens. A língua. Tudo tão diferente, faz meu cérebro girar e meu coração bater forte. O que vou encontrar, que canto vou explorar, qual comida vou comer. Me faz sentir viva.

Mas esse destino de hoje tem um gostinho mais especial ainda. Londres, minha segunda casa. Onde eu vivi e morri por 5 anos. Vivi porque tive muitas experiencias boas (trabalhei, estudei, viajei) e morri cada vez que vi um amigo, um amor partir, pois Londres todos estão de passagem. Tenho Londres no coração pois foi onde me tornei mulher — dona de mim mesma, onde meus horizontes se abriram, onde serviu de porta para um mundo ao qual eu pertenço.

Hoje retorno pra ver amigos, muito queridos. Fico aqui imaginando, antes de embarcar, como eles estão, do que vivem, do que se alimentam…se lhes fiz falta.

Além de tudo essa visita tem um gostinho diferente, meu amor vem comigo. Conhecer um pouquinho a Londres do meu coração através dos meus olhos…

Daniele Martins

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Dani Martins’s story.