Você não vai ter uma Startup de Sucesso!

Se você é empreendedor, como eu, já deve ter visto e lido uma pancada de livros, artigos, vídeos, podcasts e deve ter ido à trocentos eventos sobre as chamadas Startups.

Muitos livros e artigos são realmente inspiradores e despertam o melhor da gente (como o pessoal da Y Combinator e 500 Startups); Alguns vídeos com cases de empreendedores (como os Day 1 da Endeavor), fazem nosso sangue ferver e a gente fica empolgado em começar um negócio; E também tem aquelas palestras e workshops que dão os passos pra gente conseguir ter a tão sonhada Startup de Sucesso! Lindo né? Pena que tenho que te dizer que isto é tudo mentira.

Eu também tenho uma Startup, e por 3 anos, participei de uma incubadora, de uma aceleradora, de vários programas de desenvolvimento de negócios, mentorias, contato com investidores, e conversei com uma porrada de outros empreendedores, que assim como eu, lutavam com unhas e dentes para conseguir que seu negócio decolasse. Neste tempo, aprendi algumas coisas importantes sobre empreender no mundo das Startups, e quero compartilhar com vocês um pouco do que vivi e aprendi.

Talvez você que esteja lendo este artigo, faça parte da minha história, e talvez se sinta ofendido, ou ache que estou apenas falando bobagens porquê minha Startup não é um case de sucesso, que é inveja ou algo do tipo. Posso dizer de antemão que não é o caso. Talvez você esteja pensando em empreender, ou esteja empreendendo e não está entendendo o por quê as coisas simplesmente não dão certo. Espero poder te ajudar com isto, então, lá vai:

1 — SEM GRANA PRA COMEÇAR? VAI DEMORAR
Depois de um tempo analisando quem estava no meio de startups, percebi que era uma galerinha que podia “arriscar”, ou porquê tinha uma família que bancava sua vida, ou porquê não tinha uma família para ter que sustentar. Claro, existiram exceções, mas exceção sempre é uma pequena porcentagem, então leve isto como uma estatística ok? 80% dos empreendedores que conheci podiam largar tudo e trabalhar apenas em sua ideia. Em muitos eventos, e na própria aceleradora que participei eu ouvia que “eu tinha que me entregar de coração”, “que tinha que estar com meu coração apenas no negócio”, ou “que tinha que vender tudo para conseguir”. Vi gente dando tudo o que tinha e o que não tinha, e vi estas mesmas pessoas cheias de dívidas e depois de um tempo voltando para o mercado de trabalho, abandonando suas startups e ficando amargos sobre esta vida de empreender. Então, meu amigo, se você quer empreender, fique de aviso: sem dinheiro, você vai demorar muito mais tempo do que o pessoal da grana!

2 — PODE SER QUE NADA DÊ CERTO
Tá cheio de espertinho por aí, que leu alguns livros de empreendedorismo e startups, (como Lean Startup, A startup de 100 dólares e BMG) e sai pelo mundo afora dando cursos como se fosse um especialista no assunto (conheci vários deles). Bom pra eles, que cobram valores altos para que você participe destes cursos, mas ruim pra você que sai acreditando que agora sim, tudo vai dar certo. Mentira! Tudo pode dar errado, e o culpado por acreditar nisso é só você! Você pode não ser o próximo Zuckberg ou ter uma startup vendida por milhões, ou uma base no Vale do Silício. Mas não desista! Pesquisas apontam que empreendedores de sucesso quebraram 2 negócios antes de ter um negócio TOP.

3 — NÃO ACREDITE EM FÓRMULAS!
Nestes cursos e workshops que existem por aí, acabam esquecendo de mencionar muitas das merdas que podem acontecer na vida de quem empreende, como por exemplo, as mudanças de equipe, problemas de saúde em sua família, ter que dar um pause no negócio pra poder resolver as pendências financeiras trabalhando em outro lugar, entre outras adversidades que podem ocorrer. As fórmulas não tem lugar para o empreendedor brasileiro! Existe apenas uma fórmula: Trabalhar muito + Não desistir + Se relacionar com gente fera + Estudar muito, mas como eu disse, não acredite em fórmulas!

4 — SUA STARTUP NÃO VAI SER IGUAL ÀS OUTRAS
Lembra o que eu disse sobre fórmulas no tópico 3? Então, cada negócio é um negócio, diferentes em várias formas uns dos outros, então nem sempre o que uma startup fez, vai funcionar na sua, e digo isto por experiência própria! Criamos um site que ajuda artistas a viverem de arte, e por isto trabalhamos muito com um público (artistas) que age, pensa e compra de forma diferente da maioria das pessoas. Como vender um produto pra um público que não pensa como a maioria? Como convencer que meu produto é bom, e que este público precisa disso?
Seu negócio pode não trabalhar com o mercado cultural, mas pode ser que tenha um serviço ou produto diferente, ou até mesmo um modelo de negócio diferente, que trabalhe colaboração ao invés de venda e compra, então não se desespere! Sempre existe um jeito! Então converse muito com seu público, e crie o negócio em conjunto com ele!

5 — NÃO EXISTE INVESTIDOR DE RISCO NO BRASIL
Afirmação forte esta né? Pode ser que eu nunca consiga um investimento de algum investidor daqui só por causa disto, mas acho necessário dizer: Não existem investidores de risco brasileiros (e se existem, eles só são encontrados quando querem). Tem gente dizendo ser Venture Capitalist, mas não se engane pelo papo destes: eles querem um negócio funcionando, com mercado cativo, com certeza de ganhos rápidos, e não um negócio de risco, que pode ser que dê certo, ou não. Quem me disse isto foi um dos maiores investidores de risco do mundo, Dave Mclure, fundador da 500 Startups, em 2013, em um evento em São Paulo, organizado pela Brazil Innovators (parceira da 500Startups). Então, querido empreendedor, não se iluda: não vai cair um investidor gente fina, que quer investir dinheiro em um negócio que pode ser que não dê certo. Se isto acontecer, por favor, me apresente, porquê este cara é pioneiro em nossas terras! Em meu período incubado, acelerado, e em eventos como Campus Party e outros tantos, tive contato com muitos investidores que se diziam “de risco”, mas só se eles arriscavam na mega sena.

6 — VAI SER DIFÍCIL ACHAR UMA EQUIPE COMPETENTE
Já percebeu que é tudo muito diferente do que te dizem né? Outra coisa é que ter uma equipe responsável, competente e que queira arriscar, assim como você, será muito difícil. Pode ser que você demore anos até deixar sua equipe redondinha, mas não desista! Existe algum programador, um designer ou um comercial com a mesma paixão que você, só está bem escondido e precisa ser encontrado! Tenha paciência, pois algumas vezes esta equipe vai te deixar sozinho e você vai ter que recomeçar, de novo e de novo.

7 — SUA IDEIA NÃO É BOA O SUFICIENTE
Você pode achar e dizer que sua ideia é ótima, que vai mudar o mundo, e que ainda por cima você pode ganhar muito dinheiro com isto, mas esqueça: isto pode não acontecer, e provavelmente não vai mesmo acontecer! Se você tem um negócio social (com foco no impacto que gera e não apenas nos lucros), você não vai conseguir investimento e vai lucrar muito pouco, então as aceleradoras de negócio convencional não abrirão as portas para você, mesmo que gere transformação social de impacto (com exceção de investidores estrangeiros e ligados à Ashoka e outras organizações que manda muito bem). Sua ideia nunca será boa o bastante para algumas pessoas, então apenas trabalhe muito, que os resultados sempre vão mostrar a verdade. Acredite em sua ideia, mas ouça e filtre o que outros dizem sobre ela.

Eu poderia citar outros tópicos por aqui, mas não quero que você desista, ao contrário, quero te incentivar a estudar, trabalhar e empreender cada vez mais! Vá a cursos, workshops palestras, veja vídeos, leia livros, escute podcasts, converse com outros empreendedores, procure mentores e não fique esperando pela boa vontade das pessoas, apenas faça!

Pode ser que você pedale por muito tempo com uma ideia, duas, três, enfim, pode ser que você acerte apenas na décima ideia e que seu negócio não seja um Google da vida, mas você terá aprendido tanto, que tudo o que botar a mão vai ser um sucesso.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.