Anorgasmia feminina é uma disfunção sexual que inibe a mulher de ter ou sentir orgasmos, porém falar sobre o assunto ainda é um grande tabu e precisa ser desmistificado. É importante salientar que está disfunção não inibe a mulher de excitar-se e sentir prazer, porém o orgasmo é comprometido. Estima-se que 90% dos casos são de origem emocional, ou seja, é uma disfunção psicossomática. Tem origem psíquica e muitas vezes é mantida em segredo por boa parte das mulheres por receio de comprometer suas relações com seus parceiros ou parceiras. Dialogar sobre o assunto é extremamente necessário para dar voz a esse sofrimento, apoio e ajuda de profissionais são necessários para compreender as origens dessa disfunção, sendo que 10% correspondem a origens físicas ou biológicas. Portanto o primeiro passo é buscar orientação de um ginecologista para descartar causas físicas e biológicas como menopausa ou ainda consumo errado de anticoncepcionais e outros hormônios, assim como antidepressivos, e constatando que é de fato uma disfunção psicossomática, buscar um psicólogo ou um psicanalista é o próximo passo para vencer essa barreira.

Causas psíquicas mais comuns são:

· Estresse

· Culpa

· Traumas por abusos sexuais

· Preocupações diversas

· Ansiedade

· Medos

· Desinteresse no parceiro ou parceira

· Relação conturbada

Portanto se você sofre com algumas dessas causas e consequentemente isso afeta o seu orgasmo, não tenha medo de contar isso para um profissional de sua confiança, caso ainda não o tenha, procure um, psicanalistas e psicólogos estão aptos a ouvir, sem julgar e acolher, para juntos entenderem as origens desse sofrimento e promoverem uma significante melhora de sua vida sexual. E não tenha medo ou vergonha de descobrir e redescobrir o seu corpo. Alguns exercícios são fundamentais para isso, explore-se, toque-se, conheça as partes de seu corpo que lhe dão prazer e as que não dão, permita-se essa intimidade. Descubra-se, olhe-se no espelho. A masturbação é fundamental para as descobertas sexuais, a auto-estimulação é recomendada, além de ser muito gostoso é relaxante e infelizmente é deixada de lado por tabus sociais retrógrados e ortodoxos. Seja feliz!

Durante as relações sexuais aproveite as preliminares, penetração pode ou não fazer parte de uma relação sexual, portanto caricias, brincadeiras, afagos, sexo oral são fundamentais para promover um “clima”, mas não faça coisas que não goste, não sinta-se obrigada a fazer algo para agradar alguém, o intuito é ser prazeroso e não penoso.

E tenha em mente que anorgasmia não é uma disfunção irreversível, muito pelo contrário, com o devido acompanhamento psicoterápico pode-se voltar a ter o prazer de sentir orgasmos, e quem nunca o teve descobri-lo e ter uma vida sexual ativa e satisfatória, gozando o que a vida tem de melhor.