Sonhar é preciso

É comum associar sonhos com capacidade de prever o futuro ou como tentativa de lidar com questões místicas, e muitas pessoas ao procurar um Psicanalista questionam se isso é real ou não. A Psicanálise não realiza esse tipo de interpretação, ela nos conduz a uma analise que aproxime o conteúdo sonhado a realidade do paciente formando uma ponte direta ao seu inconsciente. A obra que inaugura a Psicanálise é “A Interpretação dos Sonhos” lançada por Freud em 1900. Nesta obra é detalhadamente explicado e conta com exemplos reais de como os sonhos nos ofertam uma grande compreensão de material inconsciente que devidamente interpretados revelam sentimentos, emoções, traumas, lembranças, medos, e principalmente desejos. “O sonho é a estrada real que conduz ao inconsciente”. (FREUD, 1900).

Os sonhos e seus significados variam consideravelmente, não é possível analisar um sonho e dar lhe uma interpretação direta sem considerar cada elemento trazido pelo sonhador, é preciso entender cada elemento que nele aparece e dar a ele um significado que nos conduza a uma ou mais compreensão do todo. Quem nunca ao acordar pensou: “Nossa que sonho sem sentido!”

Essa sensação ocorre porquê o material durante o sono é surge de forma condensada e deslocada, ou seja, é como se vários sentimentos e imagens se misturassem formando algo desconexo, como se fosse um enorme quebra cabeça com peças misturadas, analisar peça a peça permitirá ao analista e seu analisando conhecê-las e encaixa-las corretamente e uma vez que estejam reagrupadas de forma lógica algo do paciente nos será revelado.

Essa revelação nos apontará e nos dará uma direção a seguir, servindo como uma bussola norteadora ao seguimento do tratamento e para a resolução ou alivio de um ou mais sofrimentos. Mas nem tudo são dores, muitos sonhos tendem a aliviar desejos que no dia a dia surgem, mas que são impossíveis de realizar. Quem nunca sonhou estar na companhia de um belo ator ou atriz ou até mesmo dando uma rasteira naquele colega chato do trabalho? Portanto os sonhos também servem para aliviar uma descarga oriunda de vontades que a realidade não nos permitem experimentar e isso se aplica a exemplos simples como os que mencionei até desejos mais obscuros ou ocultos que exigem melhor investigação para acessarmos, e possibilitará aos pacientes visualizarem desejos que sequer sabiam que estavam ali enraizados.

Segundo Freud (A Interpretação dos Sonhos, 1900) existem quatro tipos de fontes de sonho e elas se misturam.

1. Excitação sensorial externa (objetiva) onde todo ruído indistintamente percebido provoca imagens oníricas correspondentes.

2. Excitações sensoriais internas (subjetivas) dos órgãos dos sentidos.

3. Estímulos somáticos internos (orgânicos)

4. Fontes psíquicas de estimulação. Material extremamente importante para nós Psicanalistas podermos acessar o inconsciente e necessário para o processo psicanalítico, sem desconsiderar os três itens anteriores que também são importantes.

Curioso (a) para conhecer o significado de seus sonhos e o que eles nos revelam sobre seu inconsciente? Agende uma sessão e juntos faremos essa caminhada esclarecedora.

Agende uma sessão pelo telefone (11) 9 4905–4900 ou pelo e-mail psicanalistadarcimartins@gmail.com