eu só queria um lugar pra ser silencioso.

difícil descrever uma sensação recorrente. sei quando ela se vem, mas nunca quando se vai ou, mesmo, se já se foi.

me parece o climinha melancólico dessas tarefas domésticas que me bate nessas manhãs iluminadas nesse meu pequeno apartamento que hoje chamo de casa.

aqui, habita um tipo de silêncio presente até no pousar do copo no criado mudo.

já dizia meu amigo, é difícil fotografar o silêncio.