Qual a finalidade disso?

Tenho me deparado com cenas que estão me fazendo refletir sobre a finalidade do que nós fazemos. A história de pensar antes de falar ou fazer, é de fato algo necessário, pensar sobre algo nos faz jogar na mesa os prós e contras, e consequentemente, nós ficamos claros sobre nossas escolhas. Isso não significa que vamos deixar de fazer a escolha errada, ou a escolha que não vai nos trazer um retorno melhor, mas quando você tem conhecimento dos riscos que corre, isso lhe torna responsável (mesmo que sua escolha seja uma merda).

“Qual a finalidade disso?” deveria ser a pergunta antes de iniciar qualquer coisa, deveria ser automático antes de tomar qualquer decisão. Ontem, por exemplo, fiz uma escolha que pode ter prejudicado uma outra pessoa, e muitas vezes, as escolhas que nós fazemos não só prejudica a gente, mas também quem está ao nosso redor. Escolhas vão além do egoísmo, do hedonismo e até mesmo do altruísmo (Ah, mas é tão bonitinho! É sempre bonitinho, mas também, muitas vezes, inútil).
 
Pensar antes de fazer qualquer coisa, não é morrer em seus pensamentos, paralisar em sua filosofia de vida, ou pensar na finalidade da finalidade da sua finalidade. Tem muita gente que acaba pensando demais (como eu), e pensar demais nos causa desde ansiedade até depressão, o ideal é ter um equilíbrio entre pensar, analisar pros e contras, saber qual melhor escolha, escolher e fazer. De resto é só consequência e algo parecido com o que você previu.

Se as pessoas soubessem suas finalidades antes mesmo de começar, não haveriam tantos relacionamentos complicados, pessoas odiando suas profissões e odiando seu estilo de vida. Então que a gente se pergunte sempre, “qual a finalidade disso?”.