grávida de raios

relampeja em flancos alheios

na garganta, o deserto do Atacama

chora lavas de vulcão

cospe cinzas roxas e vermelhas

tem granadas nos ovários e petróleo nas íris

jaz nas pedras dos corações que endureceu

causa em si catástrofes

catarses

cacoetes

morde a língua e se alimenta do próprio sangue

canibal de si mesma