Gestão Financeira Pessoal com Revolut e Cashback da Crypto.com — guia passo a passo

Não sou nenhum expert financeiro nem tenho um Lamborghini à porta. Provavelmente serei como tu que estás a ler este artigo, com um trabalho fixo e ambições pessoais.

Principalmente com a minha entrada para o mundo da crypto, tornei-me obrigatoriamente mais consciente dos meus números. Até há pouco tempo atrás, era “chapa ganha, chapa gasta", raramente sabia a quantas andava a minha conta: “dá para (sobre)viver? Então está bom.” Só que não.

Neste artigo vou explicar passo a passo como tenho gerido o meu dinheiro e as técnicas que tenho arranjado para controlar os meus gastos com a ajuda das seguintes ferramentas:

  • revolut
  • conta bancária
  • crypto.com
  • curve

Apesar da minha estratégia envolver crypto, não significa que não resulte sem isso, para quem ainda não teve a coragem de estudar sobre o caso e arriscar. No entanto, tudo aponta que seja inevitável, daí que pode ser um bom início.

1º Passo — O segredo está no comprar

Não é segredo para ninguém mas, para quem realmente está decidido a ter total controlo financeiro, é o ponto de partida. Foi assim que comecei.

Reduzir ao máximo despesas inúteis pode fazer uma diferença enorme no fim do mês. Essa diferença a médio/longo prazo faz moça.

Comecei por renegociar o meu contrato com a MEO. Soube-me bem, 20€ a menos todos os meses na fatura.

Já nem vou falar dos 70€ em cafés que gastava por mês. Sinceramente, já pararam para fazer essa conta?

2º Passo — Despesas Fixas Mensais

Para esta estratégia, é fundamental saber quais as despesas fixas mensais.

As Despesas Fixas são aquelas despesas que não podemos fugir a elas porque caem todos os meses como a conta da água, a conta da luz, renda da casa…

O segredo aqui está em adicionar às despesas fixas mensais todas as despesas anuais divididas por 12. Ou seja, se eu pago por exemplo 300€ do seguro do carro AO ANO, divido esses 300€ por 12 (meses) e acrescento o valor às despesas fixas mensais, 25€/mês.

Ao chegarmos à conta final, já dá para ter uma ideia se andamos a gastar mais do que devíamos…

3º Passo — Revolut — a peça chave na equação

No início estava relutante com a aplicação. Não entendia como poderia substituir o MBWay que já utilizava. No entanto, achei interessante alguns aspetos e por isso experimentei.

Deixo aqui o link para quem quiser experimentar. https://revolut.com/referral/david5s19!JAN1-22-AR

A principal função que utilizo no Revolut são os Cofres!

Com o Revolut é possível criar cofres individuais e cofres partilhados.

Mas o mais incrível é que dá para agendar transferências automáticas com o valor e frequência que desejares.

Assim, o 3ª passo é a criação dos cofres com as seguintes características:

1º Cofre — Poupanças — Não Mexer
✓ Trocos (desativado)

✓ Transferência Recorrente — 30€ ao dia 02 de cada mês
✓ Além do valor da Transferência Recorrente, este cofre também serve para depositar algum extra que se receba como uma comissão, um subsídio.. ou uma parte deles. O objetivo é NÃO MEXER mesmo!

2º Cofre — Despesas Fixas Anuais
✓ Trocos (desativado)

✓ Transferência Recorrente — o valor total das despesas fixas anuais estimadas ao dia 02 de cada mês
✓ Este cofre serve para chegar ao fim do ano e não ter surpresas com um mês mais difícil. O objetivo é não tocar nele até caírem essas despesas.

3º Cofre — Poupanças

✓ Trocos — x2

✓ Transferência Recorrente — 10€ ao dia 02 de cada mês

✓ Este cofre serve de SOS. Se o valor que restar na conta, não chegar para acabar o mês, é a este cofre que se vem buscar algum.

4º Cofre — Netflix, Spotify…

✓ Trocos (desativado)

✓ Transferência Recorrente — o valor total das pequenas contas ao dia 02 de cada mês

5º Cofre — MEO — o valor de uma conta de maior valor.

✓ Trocos (desativado)

✓ Transferência Recorrente — o valor aproximado da fatura ao dia 02 de cada mês

Nota #1 Trocos — a função Trocos no Revolut trata-se de fazer o arredondamento dos pagamento que se fazem e juntar essa diferença. No esquecimento, um dia estará lá um jantar pago.

Nota #2 Transferência Recorrente — para que servem as transferências recorrentes que tenho mencionado? É simples. Cheguei à conclusão que mais vale “roubar-me" a mim mesmo do que gastar mal gasto. Principalmente quando se trata de pagamentos através de cartão, a noção do dinheiro deixa de ser a mesma (talvez não para alguns, claro). Os valores destas transferências variam de acordo com as necessidades de cada um, quem conseguir aumentar esses valores, melhor.

Nota #3 Adaptação — esta estratégia requer sempre uma fase de adaptação porque surgem despesas extra, ou porque se está a separar demasiado e o que sobra não chega para o mês.

Nota #4 Divisão dos Cofres — dividi os cofres das contas em 2 por um simples motivo: como faço os pagamentos através do cartão crypto.com e a transferência mínima para o cartão é de 20€. Assim, juntei as contas pequenas (7€, 10€..) para fazer o mínimo de transferência.

Agora, quem pretender avançar em frente e experimentar o que é investir em crypto, na continuação do artigo, explico como processo as transferências e pagamentos de contas para obter até 5% de Cashback!

Para os mais conservadores, basta apenas saberem o seguinte:

1. A conta bancária serve apenas para débitos diretos e faturas que não dão para ser pagas através de VISA, apenas por Entidade e Referência. Assim, o valor total dessas despesas, tem sempre que ficar na conta.

2. No primeiro dia de cada mês, a única tarefa é saber quanto terá que ficar na conta bancária e quanto terá que ser passado para o revolut.

3. Ao dia 02, os cofres fazem a divisão programada e os pagamentos do dia-a-dia passam a ser feitos com o cartão Revolut ou em dinheiro.

4. No Revolut existe a possibilidade de adicionar uma Nota (ou comentário) às transações. Esta rotina é fundamental para que nunca percas o norte. Depois de me habituar, não deixei de o fazer.

Crypto.com — cartão com Cashback easy!

Crypto.com é uma corretora de criptomoedas.

Através da sua aplicação, é possível criar uma carteira digital, associar a uma conta bancária e transaccionar moedas digitais.

No entanto, a crypto.com tem a sua própria moeda, a CRO.

No projeto, existe a possibilidade de pedir um cartão VISA. Existem diversos planos, desde o grátis a outros que já exigem algum investimento para os obter.

O investimento passa por uma espécie de “conta a prazo”, onde tens que deixar um certo valor durante X tempo para ter acesso a determinado cartão.

Pessoalmente, mandei vir o Ruby. Tive que investir o valor total de 300€ (aprox) e deixar durante 6 meses.

Claro que neste mundo estamos sempre sujeitos às oscilações e volatilidade do mercado. No entanto, posso dizer que já triplique o que investi.

Aqui a ligação para a transferência da APP — https://crypto.com/app/rp87bw7bff — através desse link, ambos ganhamos 25$.

“como assim, ganhamos 25$?”. Sim, ganhamos 25$ e a boa notícia é que mesmo que não se compres nada, estes 25$ ficam imediatamente sujeitos às variações do mercado, o que significa que se agora são 25$, mais tarde poderão ser 150$. Assim, vale a pena instalar para obter o bônus mais que não seja para daqui a 5 anos vir buscar qualquer coisa.

Crypto.com em sintonia com o Revolut

Como já mencionei antes, eu tenho o cartão Ruby. Este cartão especialmente dá-me um Cashback de 2% em todas as compras que efetuo com ele.

Além disso, dá-me 100% de Cashback na subscrição do Spotify! Ou seja, pago pelo Spotify mas o valor é-me devolvido em $CRO. Isto é fantástico porque para além de usufruir duma APP que adoro, ainda reverto o valor em investimento quase obrigatório, todos os meses em $CRO.

Para utilizar o cartão, é necessário fazer o top-up do mesmo.

Assim, terás que associar o teu cartão Revolut à conta da crypto.com.

Cada vez que é necessário efetuar um pagamento, basta fazer o top-up do cartão, ou seja, passar dinheiro da tua conta do Revolut ao cartão. A aplicação pede para confirmar o CVV do cartão (revolut), pede uma confirmação através de MBWAY e já está. 0€ de comissão.

Descobri recentemente que a MEO permite pagamentos com VISA, o que é fantástico. Quantos mais pagamentos passarem pelo cartão, melhor.

Curve — simplificando

Acabam por ser muitos cartões e uma grande confusão? O Curve pode ajudar!

O Curve é outro cartão (ahahahah) mas desta vez mais do que isso. A aplicação Curve, permite associar diversos cartões num só: o curve.

Além de dar para associar o cartão do banco, o revolut e o crypto.com, dá também para adicionar cartões de fidelização como o do pingo doce ou Repsol.

Aqui o link para experimentares https://www.curve.com/join#NVX8QVPD

Cartão grátis e sem mensalidades (apesar de haver essa opção como é óbvio) que também da Cashback. Pelo menos está a dar 1% no primeiro mês. “Então se dá para utilizar o cartão crypto.com associado ao Curve, é mais esse Cashback que se acumula?” Yup. A diferença é que não é devolvido em $CRO.

E é isto, espero que tenha sido útil de alguma forma para alguém.

Tens alguma sugestão para melhorar esta estratégia?

Se experimentaste e vês diferença, deixa aí o teu comment!

David Franco

--

--

--

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Davidaffranco

Davidaffranco

More from Medium

Wanda.Exchange x Candao.io AMA Recap

Axelar: cross-chain solution of the future

Tachyon Protocol Weekly Report #109

InterDefi — defi ecosystem for a multi-chain & cross-chain world