“Falar não adianta, é falta de apanhar”

Se falar não adianta é por falta de saber o que e como falar, e se outras punições que não a física não resolvem, se é que obediência à força é solução, é por falta de saber como promover o arrependimento, a maior das punições, por meio da compreensão das consequências dos atos cometidos, principalmente para o próximo. Com exceção talvez dos psicopatas, todo mundo é capaz de sentir compaixão e empatia, sobretudo as crianças, cujo ego ainda em formação não as impedem tanto quanto o dos adultos. Apesar das particularidades de cada caso, a solução é sempre ensiná-las a se colocar no lugar dos outros, a quem seu mau comportamento possa prejudicar ou simplesmente incomodar, e o melhor caminho é através do bom exemplo. Simples? Não, pois nem mesmo os adultos sabem fazer isso direito, entre tantas outras coisas que não aprenderam. Se para eles deu certo as surras ou "palmadinhas" que tomaram, deveriam entender que não há lição alguma que se aprenda com elas. A violência é sempre um atestado de incompetência pra se resolver algo da maneira como se espera de seres pensantes, seja na educação de uma criança ou no governo de um país, que não raro acaba nas mãos de um grande crianção.