Tome mais aquele café…

Me dizem que as vezes eu tomo muito café e não é pela caneca sempre vazia, eu sou um ser humano muito ansioso, e apesar de todas as recomendações sociais e espirituais possíveis, eu crio expectativas. Porém agora, mais próximo dos meus 24 anos do que meus 23, aprendi as metodologias de atuação para disfarçar. E apesar de cristão, com diversos versículos na ponta da língua para reprovar essas duas ações, eu sozinho crio expectativas e fico ansioso por elas. E eu amo isso.

É excelente criar expectativas, mesmo que você falhe. É ótimo ficar ansioso. O ânimo que isso gera, a alegria que isso dá… O sonhar vem dessas duas coisas, então enquanto eu estiver me frustrando significa que eu ao menos estive sonhando.

As vezes pode ser uma tatuagem outras em ter sua casa própria, as vezes pode ser a expectativa com um relacionamento outras em participar de um projeto que vá ajudar muitas pessoas. A única verdade nesses sonhos é que “sonhar não mata, mas dói”. Só quem sonha sabe aquela sensação de tristeza de acordar, só quem sonha sabe a dor de não realizar.

Porém, a vida é dor, e até mesmo essa dor com o tempo se torna palatável, te lembrando que valeu a pena o caminho e não somente o fim desejado. Pode ser que no fim você atinja seu mundo de Alice, mas até Alice voltava porque o objetivo não é viver no sonho, mas chegar no sonho, sair e depois ter novos sonhos.

“Sonhe em ir para Lua. Se você errar, ainda vai estar entre as estrelas.”

Aprendi essa frase com um professor de escola dominical, senhor Jessé Nakel, de longe um dos melhores professores religiosos que tive. Essa frase, lembrada esses dias, me fez entender minhas ansiedades e expectativas, aprendi que não consigo mais as controlar, mas posso rever os benefícios de onde “cheguei”, seja lá onde eu tenha chegado.

Sabe essa xícara de café para ter dar a energia extra e fazer um pouco mais para alcançar seu sonho? Não posso te dizer que ao toma-la você vai alcança-lo. Na verdade, posso garantir que o café pouco fará no alcance ou não do seu sonho, mas o beba. Levante da cadeira, respire um ar puro, coloque as mãos no teclado, termine seu trabalho. Chegue em casa, dê os seus outros 20%, além dos 100% que você deu no trabalho. Deite e crie expectativas, deite e fique ansioso com o que você entregou. Sonhe, pois não há melhor coisa.

“Nós, humanos, somos viajantes. Constantemente se movendo para frente e olhando para trás. Sozinhos, mas unidos. Não temos escolha a não ser tentar, pela nossa insaciável curiosidade, pelo nosso medo do que acontecerá se não tentarmos. Nós somos exploradores, desbravadores de tudo que não sabemos. Ansiosos por cada inovação, esperando por cada nova tecnologia para irmos além. Nós queremos ir além.” (Mobi Shepard — N7)
A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.