Pentimento é a prova que o emo resiste

Para quem é como eu e curte hardcore, punk rock, post-punk, emocore e estilos musicais similares daquele fim dos anos 90 e começo dos 2000, também deve se sentir orfão de bandas novas e canções para passar meses ouvindo no repeat.

Em raras ocasiões, quando busco novidades no canal do Audiotree, KEXP ou no Bandcamp, encontro bandas que fazem eu passar dias ouvindo. Bandas que me trazem nostalgia daqueles tempos, e se mostram como uma possível “salvação” dos tempos atuais.

Então, numa tarde fria aqui em Curitiba, vi um tweet de um dos caras mais influentes na minha vida — Chris Carrabba — , que dizia que “fico honrado em saber que alguém gosta tanto da minha música a ponto de fazer uma versão dela”. Fui atrás e o que ouvi mudou meu dia… foi assim que descobri Pentimento.

Tweet de Chris Carrabba, vocalista do Dashboard Confessional (via Twitter)

A banda formada em 2011 já tem dois discos lançados — “Pentimento” de 2012 e “I, No Longer” de 2015 — e dois EPs — “Wrecked” de 2011 e “Inside the Sea” de 2013. O quarteto formado por Jeramiah Pauly (vocal e guitarra), Vincent Caito (baixo), Lance Claypool (guitarra) e Michael Hansen (bateria) é de Buffalo, NY e traz a sensibilidade do pop punk com vocais harmônicos e guitarras trabalhadas, junto com letras bem escritas e muita emoção na composição.

Menos cover, mais versões

A música citada por Chris no tweet me chamou atenção, por ser uma das minhas preferidas do Dashboard Confessional, e que se tornou trilha sonora de muitos anos da minha vida. A versão do Pentimento, bem diferente da original, traz um sentimento mais leve no coração, mas ainda assim impactante.

O termo “pentimento”, para quem — como eu — não sabe, significa “arrependimento” em italiano e, é também um processo artístico quando é realizada uma alteração em uma pintura enquanto a mesma ainda está sendo feita.

Esse arrependimento parece permear as letras da maior parte das músicas da banda, podendo assim dizer que é uma banda emo. Não costumo ligar muito para rótulos, mas para quem gosta, aí está. O que me importa é que todas as músicas que ouvi são muito boas e estou há horas ouvindo no repeat todas as suas músicas.

Tem mais bandas nesse estilo para me indicar? Envia sua sugestão e vamos criar uma playlist colaborativa e nostálgica!