No fundo

A maré me puxou de volta ao mar quando pensei estar em terra firme, de volta à deriva, outra tempestade me atingiu.

Sendo um barco, não deveria ter velas pra usar o vento ao meu favor? sendo incompleto, merecia afundar. Aceitei. Já não podia mais conter a água que teimava em entrar. Estava afundando.


No fundo, me sentia mais confortável do que jamais estive na solitária superfície.

No fundo, a verdade é que nunca fui um barco.

No fundo, eu sempre fui submarino.

Like what you read? Give dayane a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.