Gota D’Água: Coitado do Brasil

Aí o sujeito encontra o Chico Buarque na saída de um restaurante e resolve aproveitar a chance ímpar de trocar cinco minutos de prosa com um gênio.

Pode puxar assunto sobre Olhos nos Olhos, Pedaço de Mim, Trocando em Miúdos, Futuros Amantes, Gota D’Água, Tatuagem, O Que Será (À Flor da Pele) ou Atrás da Porta.

Pode ter a audácia de solicitar uma palhinha de Jorge Maravilha, Essa Moça Tá Diferente, Valsinha, Geni e o Zepelin, Fado Tropical, João e Maria, Cotidiano ou Quem Te Viu, Quem Te Vê.

Pode ainda, se está mesmo a fim de uma boa discussão, polemizar acerca de Construção, Vai Passar, Roda Viva, Apesar de Você, A Banda, Meu Caro Amigo, O Que Será (À Flor da Terra) ou Cálice.

Vá lá que não seja fã de boa música, pode criticar seus livros e peças ou pelo menos arriscar uma breve entrevista sobre Sérgio Buarque de Holanda e Raízes do Brasil.

Mas não: ele resolve bater boca sobre o PT.

Se tem um exemplo mais caricato e acabado da pobreza de espírito e da pequenez que assolam este país neste momento, eu desconheço.

Coitado do Brasil.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.