Armário Cápsula (real e para todo mundo)

Criado nos anos 70, pela britânica Susie Faux, dona de uma boutique em Londres, a ideia do armário-cápsula (que eu não sei se já tinha esse nome) era juntar um grupo de peças essenciais que não saíssem de moda para compor o guarda-roupa, como duas calças, um vestido, uma saia, uma jaqueta, um tricô, dois pares de sapatos e a partir desse grupo acrescentar o que você considerasse necessário a cada nova estação.

Em 1985, o armário-cápsula foi popularizado pela estilista americana Donna Karan, que lançou uma coleção com apenas 7 itens versáteis: um bodie preto, uma saia, uma calça, uma jaqueta de alfaiataria, um suéter, uma camisa branca e um scarf para ser usado de várias formas.

Desde a sua criação, até hoje, a ideia do armário-cápsula é ter um armário mais enxuto, com menos peças, mas que combinem entre si, facilitando na hora de vestir-se, reduzindo os gastos com roupas e diminuindo a sensação de nunca ter o que vestir mesmo com o guarda-roupas cheio.

Bora começar?

Quando eu montei meu armário-cápsula encontrei muitos guias para me ajudar ( a internet está cheia de blogs e sites sobre o assunto, porque, felizmente, muita gente está nesse movimento de viver mais com menos — vou colocar links de referência no final). Hoje, mais familiarizada com o conceito e mais consciente do que funciona ou não para o meu estilo de vida, criei meu próprio armário-cápsula sem fórmulas engessadas, porque a ideia é trazer mais liberdade, facilidade e autenticidade para a vida, e não limitar escolhas, causar angústias e me prender em esteriótipos.

A proposta que gostaria de compartilhar com vocês é de um armário-cápsula personalizável, sem fórmulas prontas e muito simples de colocar em prática, mas que requer autoconhecimento (ou boa vontade para buscá-lo), uma boa dose de desapego e vontade de ter uma vida com mais coisas que a gente ama de verdade. Durante o processo, seja flexível e aberto. Não acredito que exista uma receita de armário-cápsula universal e o que divido com vocês funcionou para mim e espero que seja um guia para quem quiser buscar uma nova relação com suas roupas e consigo mesma.

A maioria dos usuários de armário-cápsula escolhem alterar seu guarda-roupas de 3 em 3 meses, a cada mudança de estação (e durante esse tempo não comprar nenhuma peça ou somente o que é absolutamente necessário), mas você pode alterar de 6 em 6 meses, 1 vez ao ano, ou então conforme você for se sentindo confortável.

Menos coisas, mais liberdade!

A maioria dos blogs e sites que falam sobre armário-cápsula costumam definir 37 peças como a quantidade ideal para termos no armário. Para mim esse é um número guia, no qual a gente não precisa se apegar tanto, já que ele pode variar de acordo com o estilo de vida de cada um (eu mesma tenho 40 peças e acho um número ótimo e que funciona muito bem para o minha vida).

Deixar de lado a fixação por quantidades também é uma forma de desapego. (Camile Carvalho — Vida Minimalista)

Nessa quantidade de peças que definimos para o nosso armário-cápsula não incluímos lingerie, biquínis ou maiôs, roupas de academia (ou outro esporte que você pratique), pijamas, roupas de ficar em casa e bolsas (muita gente inclui bolsas nesse número, mas como eu não sou a louca das bolsas não inclui na minha ‘contagem’. Acredito que aqui seja bacana o bom senso — quantas bolsas eu REALMENTE preciso?)

Mas antes de estabelecer um número X, comece tirando os excessos, tudo aquilo que não faz mais sentido. Deixe somente:

  • roupas que você ama MUITO e que te fazem muito feliz (100% de certeza que você não pode viver sem)
  • roupas com bom caimento, que servem e você se sente bem vestindo
  • roupas de qualidade e em bom estado
  • roupas que funcionam bem para o seu lifestyle

Aqui gostaria de lembrar: só vale manter no armário aquilo que atende todos os quesitos! Sim, eu sei que o exercício de desapegar pode ser difícil e um desafio para muita gente, mas abrir espaço para o novo e renovar as energias é um caminho incrível para quem quer transformar sua vida.

Depois de separar o que fica e o que sai, organize entre o excesso retirado o que pode ser doado, o que pode ser vendido e o que pode ser guardado em uma mala para ser reavaliado na mudança de estação, ou estilo de vida, ou quando você se sentir segura para doar ou vender.

Mais variedade, menos repetições!

Ao separar suas roupas pense em manter modelos diferentes de peças : 1 calça jeans justinha e uma calça jeans flare ainda são duas calças jeans — melhor ter uma calça jeans e uma calça social, por exemplo. Também é melhor ter 1 camisa, 1 blusa e 1 regata do que 3 blusinhas que só mudam a cor. Um dos fundamentos básicos do armário-cápsula é a variedade, principalmente de modelagens, já que isso permite criar mais combinações com menos peças e os looks não ficam sem graça.

Para ajudar você pode separar as peças por tipo, tentando não repetir muitas peças que tenham a mesma função, caimento ou propósito. Também não se apegue à fórmulas que dizem que devemos ter X blusas ou Y saias e vestidos — tenha em mente o seu estilo de vida e o que você gosta de vestir.

Menos cores, mais facilidade!

Para mim, montar um grupo de cores que você gosta é uma das partes mais facilitadoras do armário-cápsula. Restringir seu armário à determinadas cores — como um estilista faz quando cria uma coleção — ajuda MUITO para que todas as peças combinem entre si. Usar as cores como liga para o guarda-roupa é muito bom, pois já que tudo combina entre si fica mais fácil harmonizar — por isso a importância de escolher peças com modelagens e estilos diferentes, já que são as cores que unem tudo.

Esqueça aqui a ideia de que armário-cápsula só tem peças lisas brancas/cinzas/pretas/beges ou que é obrigatório ter peças ‘coringas’. Pode usar estampas, cores vibrantes, saias, babados, não ter nenhuma calça preta ou camisa branca. O armário é livre e é seu!

Além de facilitar a vida, cores definidas também reforçam a imagem que queremos passar e simplificam na hora de comprar roupas novas (porque a gente sabe o que vai combinar com o que já temos em casa).

O que funciona para o seu estilo de vida?

A ideia de ter um armário-cápsula é trazer facilidade, agilidade e liberdade para o dia-a-dia e não deixar ninguém na mão — ou seja, o armário tem que ter peças que funcionem para o cotidiano e atendam a dona daquelas roupas.

Pense na sua rotina: o que você faz mais? qual seu trabalho? o que ocupa seus dias? quais seus momentos de lazer? quais seus hobbies? o que é importante na sua vida? o que é frequente?

Executivas precisam de roupas diferentes de professoras de Educação Física. Mulheres que moram no Sul precisam de mais casacos que mulheres que moram no Nordeste. Quem gosta de baladas precisa de mais roupas para noite. Quem anda de bicicleta, frequenta formalidades, vai à Igreja…. As peças escolhidas para seu armário devem estar em conformidade e atenderem o seu dia-a-dia, trazendo praticidade, não limitações.

Armário-cápsula é só amor ❤

Muita gente liga ter menos coisas com escassez, mas na verdade, todas essas coisas que eu tenho exigem meu tempo e atenção, então, ao ter menos coisas substituíveis, posso dedicar meu tempo às coisas que são realmente insubstituíveis. Fazer um detox no armário pode ser um respiro e trazer uma nova relação com as nossas roupas e com a gente mesma já que é um exercício de auto conhecimento e mudança de olhar.

Na prática, o armário-cápsula é só amor: torna o vestir-se muito mais rápido, com escolhas melhores para valorizar o que cada um tem de melhor, exercita a criatividade, gasta-se menos tempo lavando e passando roupas, economizamos dinheiro e passamos a ter uma nova relação conosco através do vestir.

Para quem quer se aventurar e montar o seu, seguem alguns links de referência:

Nossa versão (real!) do Capsule Wardrobe

O que é armário-cápsula e como montar o seu

Princípios para organizar um armário-cápsula saudável