Quando deixo a minha alma dançar

Vejo um mundo de almas na coxia à espera do chamado ao palco. Para, então, finalmente começarem a dançar o espetáculo de suas próprias vidas.

A coxia parece um espaço seguro para experimentação e treinos. Mas, a espera pode pregar peças e pouco a pouco, um minuto se torna um ano, uma década.

A alma não precisa de treino, ela já vem pronta. Com preparo físico e emocional suficientes para dançar o espetáculo de uma vida inteira.

É no palco que a magia acontece. É no palco que a interação com a humanidade cresce. É na interação com o outro que a própria alma enriquece.

Então, o que acontece na coxia com essas almas sedentas de palco? O que se espera afinal?

As cortinas estão abertas, sempre estiveram abertas.

E, onde está a sua alma? Esperando na coxia? Ou no palco da vida com seu espetáculo único, expressando seus dons, sonhos e talentos?

A vida não precisa de ensaio. A vida acontece no palco.

Os seus passos já são seus. Sua dança é você. E a humanidade é que está sedenta para apreciar e interagir no seu espetáculo. Ensine seus passos, tons e cores. Abra-se para aprender novos movimentos, desafiar-se em outros personagens, músicas e sabores!

Conhecer o seu próprio palco te permite interagir com liberdade e integridade no grande palco em que todos os outros se encontram. A escolha é sempre sua, pois da coxia ao palco basta um passo para atravessar a barreira ilusória de uma cortina que nunca existiu.

Afinal, você sabe que quando os seus pés tocam o palco, o seu corpo flutua, os seus olhos brilham e o seu coração sorri ao sentir o vigor de expressar a natureza da sua alma. A dança simplesmente flui.

Aqui, no meu palco:

Quando deixo a minha alma dançar
Não sinto mais o chão
Retiro o véu
Respiro o céu
E abraço o mar
Inundo cada pedaço de mim
Com a calma da certeza do tempo
Danço o silêncio
E permaneço no momento enfim

Chegou a hora de compor! Vamos dançar?