Eu, toxico.
Eu, toxico.

Eu, toxico.

“Ninguém se ilumina imaginando figuras de luz, mas se conscientizando da escuridão “ — Carl Jung