Tutorial – Primeiros passos com GoLang

Decidi estudar a linguagem Go, e então resolvi publicar um pouco da minha jornada e o passo a passo dela. Conforme os estudos, as PoC's e opiniões forem evoluindo, publicarei novos textos.

Instalando Go

Precisamos instalar as ferramentas da linguagem Go para começar a brincadeira, vamos lá:

  • Para MacOS e Linux

No MacOS você pode usar o Installer ou fazer por linha de comando igual no Linux, baixe o installer ou o pacote compactado direto do site de distribuição do Go (o nome deve ser semelhante a este go1.8.x.linux-amd64.tar.gz), acesse aqui e baixe https://golang.org/dl/

sudo tar -C /usr/local -xzf go1.8.x.linux-amd64.tar.gz

Pronto, as ferramentas da linguagem go estão disponíveis no diretório

/usr/local/go

Vamos configurar a nossa variável de ambiente para que possamos usar facilmente as instruções das ferramentas do go pelo terminal:

export PATH=$PATH:/usr/local/go/bin

PS: Se tiver duvida sobre variável de ambiente, segue um tutorial: https://www.vivaolinux.com.br/artigo/O-que-e-PATH-como-funciona-e-como-trabalhar-com-ele

Agora validaremos se a configuração deu certo testando um comando go no terminal:

go version

O resultado deverá ser semelhante a este:

go version go1.8.3 darwin/amd64

Criando uma Workspace para organizar nossos programas

A workspace será o nosso diretório padrão de trabalho, e todos os nossos programas estarão nessa workspace, nela teremos a seguinte estrutura de diretórios:

  • src: contém o código-fonte dos códigos que escrevemos, como também o código-fonte de pacotes de terceiros importados em nossos programas;
  • pkg: contém objetos referentes aos pacotes;
  • bin: contém arquivos executáveis gerados pelos programas que compilamos.

Chega de configuração e vamos ao primeiro código em Go!

Use um editor de texto de sua preferência que suporte o encode UTF-8, caso use outro encode "perdeu playboy", seu código não será interpretado pelo compilador :P

Vá no seu diretório de workspace, e dentro do diretório src ../workspace/src crie um diretório primeiro-codigo-go e nesse diretório crie o arquivo meucodigo.go e escreva o seguinte código:

package main
import "fmt"
func main() {
     fmt.Println("Sou um programa em Go, eu existo!")
}

Agora utilizando a ferramenta go vamos executar o comando:

go run workspace/src/primeiro-codigo-go/meucodigo.go

Então, o texto “Sou um programa em Go, eu existo!” será exibido no seu terminal.


Vamos entender a estrutura do nosso código-fonte Go

Todo código-fonte em Go segue uma estrutura simples, que basicamente é dividida em três seções:

Seção 1: A package é a definição do nome do pacote;

Seção 2: O import é onde são importados os pacotes externos, como o de formatação "fmt" que usamos no nosso primeiro código;

Seção 3: Área de código, onde serão implementos as suas funções e algoritmos do seu programa.


Explorando o código Go

Quando instalamos e configuramos o Go na nossa máquina, trouxemos todo o código Standard junto, como vimos, nós usamos a função "fmt" no nosso primeiro código Go. Abra o seguinte diretório /usr/local/go/src/fmt e explore os códigos-fonte contido nele, como o format.go e print.go, essa é uma boa forma de aprender, pois todo o código Standard está a sua disposição.


Conclusão sobre o nosso primeiro programa

Todo código Go deve ter uma package, e todo programa deve ter uma package main e uma função main() para ter um ponto de partida de inicialização do seu programa.

É isso, por fim, fizemos o nosso primeiro código Go, vamos seguir em frente e entender mais sobre essa linguagem, seus conceitos e paradigmas.

Veja o próximo capítulo:

Tutorial — Conversor numérico em GoLang