Luan Matheus

Aug 2, 2020

7 min read

Top 10 Fantaspoa 2020 (Português/English)

Primeiramente, gostaria de dizer que foi maravilhoso poder prestigiar o Fantaspoa online, através da Darkflix, mesmo que não tenha conseguido conferir todas as produções. Ainda assim, pude ver bastante coisa do mundo todo e selecionei os meus dez trabalhos favoritos do festival: cinco filmes e cinco curtas, sem ordem de preferência. Espero que, nas próximas edições, continuemos tendo alguma opção online também.

First of all, I’d like to say I felt really happy to finally be able to attend Fantaspoa, this time online, through Darkflix. Despite the fact that I couldn’t watch everything, I enjoyed tons of stuff from all around the world and here is my personal list of the best Fantaspoa 2020 efforts, divided in features and short films, in no particular order. For the next years, I hope there’ll be still something online.

LONGAS/FEATURES

FRIED BARRY (África do Sul/South Africa, 99min, Ryan Kruger)

Um dia, o viciado Barry (que anda num estilo meio Edward Mãos de Tesoura) é abduzido por alienígenas e, após alguns experimentos, retorna ao planeta Terra com o desejo ardente de uma jornada de descobrimentos através de sexo, drogas e violência. Um dos filmes visualmente mais bonitos que assisti, e que por trás de sua loucura horror/sci fi, nos revela uma distorcida história de amor e autoconhecimento.

One day, junkie Barry (whose walking style reminds me of Edward Scissorhands) gets abducted by some aliens and, after some experiments, returns to Earth with the burning desire of a crazy and wonderful journey fueled by sex, drugs and violence. One of the most visually stunning movies of the festival, behind the horror/sci-fi themes, you can find a unique love/self-knowledge story.

THE BERLIN BRIDE (Alemanha/Estados Unidos — Germany/USA, 71min, Michael Bartlett)

O filme que levou mais de 30 anos para ser concluído. É a história de dois berlinenses que acham distintas partes de um manequim com formas femininas e se apaixonam. A atmosfera durante toda a obra é onírica, estranha e envolvente, inspirada em autores como Edgar Allan Poe e E.T.A. Hoffman, e você simplesmente não consegue largar.

The film that took thirty years to be finished. It is the story of two berliners who find female mannequin parts and fall in love with it. The atmosphere is always dreamlike, strange, inspired by authors such as Edgar Allan Poe and E.T.A. Hoffman, and you simply can’t get rid of.

POS ESO (Espanha/Spain, 82min, Sam)

Pos Eso pode ser definido como uma espécie de versão animada e com boas doses de humor de “O Exorcista”. A história é sobre uma famosa dançarina que, após perder o marido, ainda tem que lidar com o filho apresentando inexplicáveis fenômenos. Além de abordar a loucura e crises de fé, o filme foi um dos mais divertidos que assisti.

Pos Eso can be defined as a kind of “terrir” animated version of “The Exorcist” (you can find my review of it, in portuguese, here). The story is about a famous dancer which, after losing her husband, has to deal with her son showing unexplainable phenomena. This film is not only a mean to reflect upon insanity and faith crisis, but a pretty good entertainment as well.

SKULL — A MÁSCARA DE ANHANGÁ (Brasil/Brazil, 90min, Armando Fonseca/Kapel Furman)

Eis que o filme mais aguardado do festival também mostrou-se um dos melhores! Um prato cheio (literalmente) a todos os apreciadores de gore! O desenvolvimento da trama, a dualidade das personagens, o assassino Skull como sendo um Jason (Sexta Feira 13) tupiniquim, tudo isso me agradou demais, e seus 90 minutos passaram como se fossem 15!

The most awaited film of the festival is also one of its best features! What a delicious bloodbath! If you like classic slashers like Friday The 13th, you must not miss Skull, this brazilian “Jason Voorhees”. 90 minutes simply went like 15 minutes! Great stuff!

DIABLO ROJO PTY (Panamá/Panama, 80min, Sol Charlotte/J.Oskura Nájera)

Todo mundo deveria assistir a esse filme já pelo seu valor histórico: afinal, é o primeiro de horror na história do Panamá. Mas a história em si (intrigante e hilária às vezes) também é fantástica. Acompanhamos um motorista de ônibus que é amaldiçoado e se mete em altas confusões com seu ajudante, um padre e dois policiais. Muito bom! Que venham mais produções panamenhas!

Everybody should watch this film due to its historic value : after all, it is the first horror movie in the Panama’s legacy. But the plot itself (intriguing and sometimes hilarious) is also fantastic. We, the viewers, see a cursed bus driver who is involved in big troubles with his friend, a priest and two cops. Let there be more Panamanian works!

CURTAS/SHORT FILMS

HORNZZ (Brasil/Brazil, 5 min, Lena Franzz)

De longe o curta metragem mais bonito que assisti no festival, com uma trilha sonora post rock impecável. Retrata, de forma sensível e fantasiosa, as experiências e amadurecimento de uma menina chamada Lu.

Without a shadow of doubt, the most beautiful short film seen on Fantaspoa 2020, with an untouchable post rock soundtrack. It depicts, in a sensible and fantastic way, the experiencies and the aging of a girl called Lu.

A.N.N.I. (China, 9min, Linq Yim)

“E se eu lhe falasse que toda frase que você disser, toda decisão que fizer, será a escolha perfeita. No entanto, você teria que se desprender de si. Você aceitaria?” Eis uma das reflexões provenientes desse maravilhoso curta sobre um dispositivo (Artificial Nascence Network Interface) que ajuda as pessoas a usarem as palavras perfeitas nos momentos perfeitos. Mas tudo tem um preço.

“And if I told you that every phrase you say, every decision you make, it’ll be the perfect choice. However, you’d have to detach from yourself. Would you accept?” Here’s one of plenty reflections caused by this marvelous short film about a device (Artificial Nascence Network Interface) that makes people say perfect words in perfect moments. But everything has a price.

REBOOTED (Austrália/Australia, 13min, Michael Shanks)

Através da triste e nostálgica história do esqueleto Phil, surge uma bonita homenagem a um dos mestres do slow motion: Ray Harryhausen.

Through the sad nostalgic story of skeleton Phil, a beautiful homage to one of the masters of slow motion (Ray Harryhausen) is risen.

PLAYTIME’S OVER (Estados Unidos/USA, 11min, Tony Reames)

Quando uma menina fã de filmes de horror resolve aterrorizar uma babá, a brincadeira acaba. Esse curta-metragem é diversão pura! E, claro, tem muitas referências a clássicos do passado e presente, como Psicose, Jogos Mortais, Carrie, Chucky, etc.

When a horror fan girl decides to terrorize her nursemaid, playtime’s over. This is pure fun! Of course it pays lots of respects to old and new classics, such as Psycho, Saw, Carrie, Chucky, and it goes on.

SENZA TENERE PREMUTO (Suíça, 13min, Paolo Strippoli)

Gostei demais por sua ideia inovadora : o curta se passa inteiramente em stories do Instagram. Uma digital influencer publica toda a sua vida na rede social até que perde seu celular. Daí em diante, alguém passa a segui-la.

I really liked this due to its scary creativity: the whole thing goes through “Stories” on Instagram. A digital influencer posts all her life on this social media until she losts her cellphone. Then someone begins stalking her.

MENÇÕES HONROSAS/HONORABLE MENTIONS

Muitas coisas ficaram de fora, é inevitável, mas esses merecem muito ser citados. (I couldn’t put everything here but there are some which deserve it): Cabrito, Pornô (Porno), #Júri, Jazzberry, Eat The Rainbow, Ani Mulalu — The Crazy World, do diretor homenageado dessa edição, Nabwana I.G.G. (honoured director this year), etc.