Sobre política em Natal

Como perceber que a política natalense é patética em somente três links:

1) Acontece isso:

http://mp-rn.jusbrasil.com.br/noticias/2997002/operacao-impacto-16-reus-sao-condenados-por-corrupcao

2) Aí DO NADA isso:

http://blog.tribunadonorte.com.br/politicaemfoco/tribunal-de-justica-suspende-processo-da-operacao-impacto-e-envolvidos-poderao-disputar-eleicoes-2016/

3) Aí tem votação importante na câmara, ocorre um resultado digno da idade média e adivinha quem foram os responsáveis?

http://agorarn.com.br/cidades/natalenses-dividem-opinioes-sobre-ideologia-de-generos-do-pme-nas-redes-sociais/

Enfim. Como sempre, “cidadãos de bem” ditando moralidade e vivendo o oposto disso.

OBS: Não educar crianças sobre sexualidade e gênero não vai fazer com que os problemas relacionados à sexualidade e ao gênero que elas enfrentam ou presenciam deixem de ocorrer. Ocorrem diariamente, e todo mundo sabe disso. O problema é que existem pessoas que acham isso normal, ou até necessário, principalmente quando se tratam de adolescentes homossexuais (sim, eles existem e são muitos!). Acham que o abuso e a violência dirigida a eles, seja por colegas seja por professores ou funcionários, é justificado para que a pessoa “tome jeito de homem”. O que não significa que isso tenha algum dia funcionado. Significa somente que a sociedade permanece omissa, e uma instituição que tem a função de educar fecha os olhos quando acha que a criança merece as agressões que sofre.

Ocorre uma “deseducação” dupla. A criança agredida na escola continua desamparada e sabe que não tem com quem contar pois os próprios professores e diretores são despreparados para lidarem com situações do tipo. E a criança que agride cresce acreditando que o seu comportamento é justificado e portanto, correto. Permitir que essas crianças continuem reproduzindo esses comportamentos impunemente passa a ideia de que o outro que está errado por existir, e por simplesmente ser da maneira que é.

O despreparo e a ignorância sejam nas escolas, sejam nos órgãos legislativos, causam à nossa sociedade um retrocesso digno de uma boa história de avô sobre a vida nos anos 1930. As mesmas pessoas que se veem tão superiores, que querem ir morar nos Estados Unidos porque lá sim é que é civilizado, são as mesmas que trazem pra baixo a nosso “status” de desenvolvimento e civilização. Nenhum país desenvolvido do mundo tem uma influência religiosa tão pesada dentro dos órgãos governamentais e legislativos. Sabe quais países tem isso? Os do Oriente Médio. E minha gente, não sejamos o oriente médio. A gente tem uma liberdade imensa com a internet, podemos ler e nos educar a respeito de praticamente qualquer assunto. Por que ainda escolher viver na ignorância? Por que apelar para e acreditar em uma campanha de terrorismozinho barato que pode ser desmentida com duas pesquisas no google? Só porque soa bonito dizer que tá votando a favor da família.

Porque se você realmente acha que algum professor ia entrar em sala de aula e forçar seu filho a ser gay, ou para dizer para o seu filho que ele não é homem ou pra sua filha que ela não é mulher, você realmente não entende nada a respeito de homossexualidade, identidade de gênero ou educação e deveria portanto se informar sobre os três. A única maneira em que a discussão a respeito desses assuntos poderia afetar a vida de seu filho ou filha é ajudando a torna-lo(a) uma pessoa mais caridosa e compreensiva para com a diferença do outro, e isso não é algo ruim. Educação e informação nunca são coisas ruins. A falta delas, ao contrário, pode levar a efeitos desastrosos (vide o resultado dessa votação).

OBS ²: Minha gente, ninguém tá cansado não? Dessa mesma putaria que se passa por política nessa cidade? Com as mesmas cartas marcadas e famílias e esquemas? Ninguém acha estranho que pessoas que eram para estar presas não só se elegem como tomam decisões importantíssimas em nome do povo? Ninguém parou pra pensar o que “votar pela família” significa? Ninguém percebe que está sendo sutilmente manipulado através de slogans bonitinhos que fingem agregar muito mas que são completamente vazios de significado?

Minha gente!! Já passou do tempo de acordar. Já estamos atrasadíssimos. Se vamos progredir como um país, não cabe mais essa política velha. Não cabe mais esse nepotismo, essa falta de transparência e esses arrumadinhos. Não cabe mais “roubar mas fazer”. Não cabe. Passamos já disso, gente. Agora cada um precisa realmente pensar para votar. Não é só votar em fulaninho porque ele é médico. Ou em sicraninho porque é amigo do meu pai. Essas pessoas estão te representando diariamente, e você pode decidir como essa representação irá ocorrer: nos moldes antigos de um sistema falido e corrupto, ou de uma maneira nova que nos impulsione para frente? Cabe somente a nós, eleitores, realmente nos importarmos com o que acontece nessa cidade. Se todo mundo fingir que não vê, isso continuará assim pra sempre e nossa cidade jamais será um lugar melhor para viver.

Vamos refletir.