Dia

Uma brisa leve, estou serena. O sol, as nuvéns, o barulho das folhas nas árvores. Tudo me parece correto.

Ouço passos. És tu. Vens devagar, como quem não quer nada. Olhas para mim e soltas aquele sorriso ao canto da boca, discreto, sentido e silêncioso. “Bom dia!” — Foi o bom dia mais bonito que já ouvi. Não pela tua voz, não pela melodia que utilizas, mas pelas inúmeras palavras que estão escondidas atrás dele.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated De Vénus a Marte’s story.