Conheça 10 formas de abuso contra a mulher

A violência contra a mulher não é apenas física. Ela vai muito além do abuso que deixa marcas no corpo e ceifa a vida de quase 5 mil brasileiras, a cada ano, apenas pelo fato delas serem mulheres.

A Lei Maria da Penha — principal legislação brasileira para a enfrentar a violência contra a mulher — classifica a violência doméstica em cinco categorias: patrimonial, sexual, física, moral e psicológica.

Fique atenta às formas de agressões que são consideradas violência doméstica no Brasil e, caso aconteça com você, não pense duas vezes: denuncie!

Para mais informações, junte-se à campanha Sou Uma Mulher de Coragem: diaconia.org.br/mulheresdecoragem

1 — Humilhar, xingar e diminuir a autoestima: Agressões como humilhação, desvalorização moral ou deboche público em relação a mulher constam como tipos de violência emocional.

2 — Tirar a liberdade de crença: Um homem não pode restringir a ação, a decisão ou a crença de uma mulher. Isso também é considerado como uma forma de violência psicológica.

3 — Fazer a mulher achar que está ficando louca: Uma forma de abuso mental que consiste em distorcer os fatos e omitir situações para deixar a vítima em dúvida sobre a sua memória e sanidade.

4 — Controlar e oprimir a mulher: Aqui o que conta é o comportamento obsessivo do homem sobre a mulher, como querer controlar o que ela faz, não deixá-la sair, isolar sua família e amigos ou procurar mensagens no celular ou e-mail.

5 — Expor a vida íntima: Falar sobre a vida do casal para outros é considerado uma forma de violência moral, como por exemplo vazar fotos íntimas nas redes sociais como forma de vingança.

6 — Atirar objetos, sacudir e apertar os braços: Nem toda violência física é o espancamento. São considerados também como abuso físico a tentativa de arremessar objetos, com a intenção de machucar, sacudir e segurar com força uma mulher.

7 — Forçar atos sexuais desconfortáveis: Não é só forçar o sexo que consta como violência sexual. Obrigar a mulher a fazer atos sexuais que causam desconforto ou repulsa, como a realização de fetiches, também é violência.

8 — Impedir a mulher de prevenir a gravidez ou obrigá-la a abortar: O ato de impedir uma mulher de usar métodos contraceptivos, como a pílula do dia seguinte ou o anticoncepcional, é considerado uma prática da violência sexual. Da mesma forma, obrigar uma mulher a abortar também é outra forma de abuso.

9 — Controlar o dinheiro ou reter documentos: Se o homem tenta controlar, guardar ou tirar o dinheiro de uma mulher contra a sua vontade, assim como guardar documentos pessoais da mulher, isso é considerado uma forma de violência patrimonial.

10 — Quebrar objetos da mulher: Outra forma de violência ao patrimônio da mulher é causar danos de propósito a objetos dela, ou objetos que ela goste.

Por Clara Cavalcanti (assessora de comunicação da Diaconia), com informações do Portal Brasil

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.