Aqueles dias que eu escolho cuidadosamente a lingerie, a lingerie que favoreça meus seios e esconda os meus pneus. Que eu passo a tarde manicurando as unhas, hidratando os calcâneos com creme de uréia para desliza-los sobre as suas pernas. Que eu me depilo, imaginando sua expressão me colocando em seu sofá e abrindo minhas pernas, após retirar minha calcinha.

Do momento que eu te vejo na estação e te abraço, longamente. Que a gente chega, e se beija: eu, como se o mundo fosse acabar a qualquer momento, e você, sentindo minha respiração ofegante, rápida, minha falta de ar, minha vontade de me desfazer em seus braços.

Que eu solto meus cabelos, que você tira minha roupa e me olha em transe. As suas mãos suaves estimulando meu clitóris, as suas mãos firmes empurrando minha cabeça até o seu púbis.

Que eu me abro, fecho os olhos e me rendo.

Estou com saudade.