Guerra

Se você faz as regras, eu perco o jogo.

Se a canção é sua, o lamento é meu.

Você anda entre anjos, enquanto eu batalho contra demônios.

Em eterna guerra pelo meu corpo.

Seu mundo é sonhos, que exala realidades.

Seu corpo é fogo, que não ilumina.

Seus lábios são mel, cheios de contradições.

Em guerra você vive, e a paz eu almejo.

Entre o sagrado e o mundano, eu busco a cura.

Entre o nascer e o morrer, eu vivo a vida.

Acendo um milhão de velas, e te desejo.

Mas você escolhe a escuridão, e apaga a chama.

Like what you read? Give Diego Silva a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.