13 Conversations About One Thing (2001)

Spolier! Mais filme antologia (várias histórias em um filme só).

O que eu achei mais legal é como cada história se conecta, é muito divertido ficar a tentar adivinhar qual o momento de epifania onde se pensa: “ah, isso é consequência daquela causa”. E o filme foca justamente nesse assunto de causa e efeito. Será que existe isso de sorte? Somos apenas um embaralhado de fios que se entrelaçam e podem se partir a qualquer momento? Eu entendi que a resposta para essa pergunta foi meio que “Sim”.

O filme mostra a vida meio que como uma montanha russa de eventos aleatórios, e que mesmo com trabalho duro, isso não é o suficiente para conter essa imprevisibilidade. O sucesso normalmente é atribuído muito a volição do indivíduo, e menos ao ambiente. Mas será que essa análise prematura condiz com o que de fato acontece? A difícil realidade Brasileira, por exemplo, é um exemplo macro dessa percepção errônea de “sucesso”. Afinal, quem são os vencedores e os perdedores?

A “derrota” Brasileira costuma ser julgada por ser o que é em comparação com países de IDH melhores. Mas será que toda essas conquistas de “países do primeiro mundo” não são apenas consequências do insucesso de outras nações? E se eu disser que o tamanho dos países escandinavos (esses com os melhores índices de IDH) influenciaram seu sucesso, principalmente pela facilidade de se administrar o dinheiro dos cofres púlbicos? E se os ditos países evoluídos são fruto de acumulo de riquezas a custo da exploração exaustiva de países como a áfrica? E se mesmo com essa aparente felicidade, esses ditos paraísos na terra possuírem as mais altas taxas de suicídio do globo? Percebem os paradoxos?

Em escala micro, acontece o mesmo. Alguém que nasceu em uma família rica, que estudou em uma escola privada, têm nesses habitat uma garantia de sucesso? ou mesmo o contrário, alguém que teve dificuldades na vida, aprendeu “a força” como sobreviver a partir de circunstâncias perfeitas? O quanto essa “sorte” influenciam nossas vidas? O quanto esse sucesso é devido à um mero efeito borboleta com inúmeras possibilidades, não dependentes do livre arbítrio do indivíduo? Somos culpados ou abençoados por sermos quem somos?

Esse discurso de vitória é muito comum entre empreendedores charlatões ou pirâmides de negócios, mas a real é que não existe uma formula para se vencer na vida e alcançar a felicidade. Não se trata de um ato totalmente consciente de decisão, trata-se de uma panelinha de indicação de um funcionário (Quem indica), de um ganho na loteria. As vezes pessoas boas recebem coisas más, as vezes pessoas más recebem coisas que não merecem, as vezes não se sabe nem mesmo se as pessoas são boas ou más. Podemos estar bem consigo mesmo, e um imprevisível acidente de carro mudar tudo. Vem o sentimento de culpa que pode pendurar por toda uma vida. Como estar em harmonia?

E há quem julgue o comportamento alheio (como o professor do filme). E há quem tenha inveja da felicidade alheia, de achar que a grama do vizinho é melhor. E Talvez seja melhor, mas de qual perspectiva? do observador ou do observado? Cada um tem uma visão sobre um mesmo assunto. Cada um com sua própria percepção do que de fato é a felicidade.

No mais, o destino sorri para alguns e ri de outros. Filme favoritado.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.