Get Out (2017)

SPOILER! Talvez a primeira cena do filme do sequestro de um negro fosse um tanto desnecessária, afinal ainda teria o suspense todo de dúvida se havia realmente algum problema com aquela família, para que mostrar uma cena que nos fizesse concluir algo sobre isso logo no começo?

O que eu acho mais estranho nesses filmes são como eles revelam o segredo do filme. É sempre algo muito mirabolante, haha. Capturar pessoas e fazer leilões para transferir sua mente para elas? WTF

Lembrou-me a sensação de surpresa que tive ao ver “O segredo da cabana”. E também achei isso tudo muito black mirror, pareciam aqueles cookies que eram trancafiados (no Get Out chamam esses locais de sunken) em um ambiente solitário. E achei muito bem captado esse sentimento enlouquecedor que é estar nessa desnecessária prisão. É desnecessária porque podiam muito bem jogar a mente original dos negros fora e no fim não existira esse local vazio para se estar. Mas usam isso como recurso de roteiro, de que a ciência do filme só funciona assim (inclusive existem outros métodos e dá a entender que não é só aquela família que realiza esse tipo de procedimento), então está “explicado”. Mas um exemplo desse sentimento perturbador é a cena da empregada a chorar, bem tenso. Como se sua mente lá no fundo estivesse viva, a agir apenas como uma expectadora de seus próprios movimentos involuntários.

Em alguns momentos achei que não havia nada de errado com a família além de ser preconceituosa e que era tudo “ paranoia” dele, mas no fim foi por outro caminho. E os negros nem eram tão importantes assim, estavam apenas na moda como disseram no filme. Fiz uma analogia com a escravidão: Os brancos poderiam muito bem ter sido os escravos naquela época, aconteceu que foram os negros os escolhidos. (Embora tenha essa discussão no filme se eles tem alguma vantagem física em relação aos brancos).

E Que hipinose rápida hein? Bastava um toque na xícara que o cara já estava a dormir, haha. Chega até a ser engraçado quando eles brigam para quem pega a xícara primeiro, como se estivessem a brigar por alguma arma. Mas ao fazer uma analogia com o preconceito, eu entendi que é porque as vezes palavras podem ferir ou ter um efeito hipnótico muito maior do que apontar uma arma para alguém.

Aquele final ficou legal porque realmente nos faz pensar que sairia um policial de dentro daquela viatura e prenderia ele, mas não é isso o que ocorre. Talvez tivesse sido melhor ainda se ele pegasse o cigarro e tivesse fumado. Afinal em algumas partes mostra o maço do cigarro e tem toda essa ponderação durante o filme sobre fumar também.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.