Halt and Catch Fire me deixou mais nerd e mais curioso sobre a história das primeiras empresas da "era internet".

Mais uma série que entrou de vez pra minha lista (que, na verdade, não são poucas). Pra quem não me conhece, sou um maluco que assiste dezenas de séries, algumas ótimas, algumas fracas, outras péssimas.

Essa série foi indicada por um amigo, e já no primeiro episódio me ganhou facilmente, pelo conceito, roteiro, personagens e principalmente pelo tema. Eu comecei a assistir com a segunda temporada já finalizada (o que foi bom porque me rendeu algumas horas de diversão de uma só vez). O texto abaixo pode conter informações equivocadas, mas eu não fiquei pesquisando muito. Se você quer uma sinopse com conteúdo rico sobre a série, tem dezenas de sites especializado nisso, esses meus posts de série vão conter só a minha opinião.

O trailer já me ganhou só pela música!

A série, veio pra substituir Mad Men na grade da AMC, fala basicamente de 3 personagens principais, sendo que um deles acaba trazendo anexada a esposa, cada um gênio na sua área. Gordon Clark/Donna Clark fazendo a parte de hardware, Cameron Howe no software e Joe MacMillan como o mestre das vendas, visão de oportunidades e gestão de equipe quase nazista.

O enredo trata das primeiras empresas de tecnologia (hardware e software) voltadas para o uso pessoal/doméstico (já que a internet existe no EUA desde 1965 com a ARPANET, porém só para uso de universidades, governo e militares. Um assunto que é abordado superficialmente em The Americans, outro ótimo seriado, que fica pra um outro post). Porém a série mostra esse acontecimento no Texas, que é na teoria um local totalmente fora do eixo das inovações tecnológicas, que aconteciam na maioria em São Francisco CA, porém foi um polo super importante na corrida tecnológica do início dos anos 80's. A empresa central da trama, a Cardiff Eletric, foi baseada na COMPAQ, uma empresa inovadora também do Texas, que usou engenharia reversa nos chips da IBM para criar um computador melhor que os da época.

Estou vendo a Cameron se tornando uma musa do mundo nerd.

A INTRODUÇÃO

O tema de introdução pra mim é uma show a parte, o vídeo é muito foda e foi a música foi feita por um artista que eu tive mais contato na adolescência, chamado Trentemøller.

Pra mim a série fica tentando desmoralizar a IBM o tempo todo, e nessa introdução eu senti uma pequena zoação com o robô HAL de 2001: Uma Odisseia no Espaço. Pra quem não sabe o robô iria se chamar IBM, mas a empresa não liberou o uso do nome e eles desceram uma letra em cada inicial, criando então o famoso HAL.

SPOILER ALERT

A partir daqui não vou me preocupar em dar spoilers, vou dar minhas opiniões, então cuidado!

O que vai deixando a trama mais interessante pra mim é a chegada da internet, os personagens descobrindo usos para ela, como chat, redes sociais, jogos FPS, vírus, anti-vírus, é muito bacana ver coisas conhecidas sendo criadas. A cada criação você corre pra internet para ver se foi assim mesmo que aconteceu. Espero que tenha sido feita uma boa pesquisa para deixar pelo menos um pouquinho real como foram as descobertas dessas funcionalidades na era digital, porque eu estou acreditando em grande parte!


— O que mais me ganhou nessa série é a carência que eu sinto de séries com temas diferentes do cenário policial. —


A cada descoberta na série, você fica do outro lado da tv gritando: é isso! é isso! vai por esse caminho, isso vai fazer sucesso! hehehe

Quando Gordon cria o vírus e Joe descobre um uso comercial pra isso, eu fiquei maluco assistindo.

Cameron Howe e Donna Clark na Mutiny

Num cenário geral é muito legal ver 3 pessoas totalmente diferentes, que se odeiam e se amam. E isso passou exatamente o mesmo sentimento pra mim. Ver como elas transitam entre bem e mal — são personagens bem parecidos com Walter Whiter de Breaking Bad e Don Draper de Mad Men — que é sempre difícil ter um sentimento certo sobre eles, as vezes você está torcendo pra dar certo, ás vezes você quer que eles se ferrem! Inclusive o fato de Gordon ter um problema de saúde e querer deixar seu nome na história se assemelha muito com Walter Whiter, já o jeito do Joe é bem parecido com Don Draper, seria a AMC fazendo uma junção de 2 programas de sucesso pra criar um de mais sucesso ainda?! Será que no final o Joe fará algo parecido com Don Draper, só que baseado no John McAfee, ir pra uma ilha e virar um maluco chefe do narcotráfico hahaha. Teorias da conspiração a mil! O fato é que a fórmula de sucesso das suas antecessoras está sendo usado.


É engraçado ver como a TV realmente se tornou um meio forte e não mais o patinho feio da indústria de entretenimento. Atores que estão começando um carreira de sucesso no cinema (como a atriz Mackenzie Davis e ator principal Lee Pace), não tem mais medo de fazer TV e serem taxados como atores de segunda categoria. Clap clap clap pra TV!


Na minha opinião o buraco de sucesso deixado por Mad Men e Breaking Bad está sendo bem preenchido, Halt and Catch Fire é uma série que recomendo para todo mundo, é uma daquelas séries que daqui a pouco vai estar todo mundo falando, ou não. Agora é esperar a terceira temporada, com Boz de volta e todos rumo a California. Go Mutiny!

Até a próxima,
Diego.