Violoncello



algo
que
torce
esta
madeira de entalhe,
bojuda e lustrosa carne.
Vozes, que tão humanas
saem grave, sustentando 
térreas as cordas leves. 
Como ar. Um violino.
Vai acariciando 
em arpejo 
um doce
e terno
momento.
Ele em contraponto,
com corpo belo sobe e alça
mão flutuante, corda vibrante
e arco dançante alterna, pulsa.
Paixão arde, a mulher amante.
O Largo toca suavemente
e cai em alma no corpo.