Talento é mais importante que disciplina?
Laís Vargas
255

Tenho uma história um pouco parecida com a sua,inspirada pelo basquete e pelo meu mestre e professor desse esporte que aprendi a amar. Comecei com 11 anos por falta de espaço no time de futsal, sem muita motivação ,além disso,o professor “Gil” era conhecido por sua rigidez e as pessoas o temiam o pouco,era o que eu ouvia de fora.

Um ano se passa e começo a me envolver mais no basquete,ganho a primeira basqueteira de minha mãe na véspera do primeiro torneio que ia disputar pelo meu colégio e começo a acompanhar aos poucos a NBA e jogar alguns jogos de basquete no vídeo game.Nesse intervalo de tempo eu já conhecia um pouco Gil,sempre rigoroso no ginásio de treino com a platéia que assistia como por exemplo atravessar a quadra em qualquer momento da aula,comer e deixar o lixo na arquibancada e outras questões de disciplinas ,cobrava muito o jogo coletivo e o respeito,todos jogavam nos treinos o mesmo tempo além das brigas entre jogadores do mesmo time em que ele tirava os dois e levava para um canto pra conversar,outra coisa importante era a atenção quando ele falava ,era como se fosse numa sala de aula. Uma vez t,nos meus últimos anos lá,tinha ido beber água e quando volto a quadra ele joga a bola longe e me manda pegar, ele estava falando com um grupo ,eu fui na hora,quando voltei ele se referiu a uma menina que estava com uma cara de desgosto:”Viu,quando se confia nas outras,não se precisa de porque pra fazer”.Claramente ela teve algum ato de indisciplina grave…

Mas,o que me marca mais nele foi no meu 2 ano de basquete lá ,com 12…13 anos fui convocado mais uma vez para esses jogos escolares,disse que participaria,mas faltei o treino e o jogo por motivos de não ter como ir,além de eu ter 12 anos e não ter muita autonomia nesse aspecto. Assim,na aula da outra semana,tomei uma bronca e uma aula de responsabilidade e comprometimento com meus companheiros e amigos que vou levar pra minha vida inteira. Apesar da bronca rígida ,não levei pro lado pessoal,mesmo sabendo que realmente não tinha como ir no dia,assumi a culpa, poderia ter dito que não iria desde o início ou iria confirmar. Portanto,as pessoas podem ter achado que comecei a odiar meu professor de basquete ,além do mais,eu era um adolescente numa idade bem problemática mas apenas cresci com aquilo.

Fiz mais 5 anos de basquete(ainda bato uma bolinha as vezes) em que aprendi bastante coisa assim como você no aspecto não só do jogo como na vida,hoje em dia ainda sou muito amigo de Gil,nos falamos as vezes e agradeço muito a ele como um Educador que pude usufruir.

Obs:também fui armador haha

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Rodrigo Lessa’s story.