Bandar Khayran: um dia no oceano turquesa do Golfo de Omã

Mais um paraíso escondido para descobrir, vivenciar e nunca mais esquecer

(Imagem: Dimitria Prochnow)

Não é por nada que a paisagem natural de Omã é um dos maiores atrativos turísticos para quem vem explorar o país. Há alguns dias escrevi um post sobre a sensação impactante de estar em meio à natureza do Wadi Shab e do Sink Hole, dois lugares relativamente escondidos e absurdamente lindos. Flutuar sob as águas de Bandar Khayran teve um efeito similar.

Primeiro, a sensação de quem acabou de escolher a pílula vermelha em Matrix. Isto é, se sentir arrebatado por um cenário tão incrível que a gente precisa de um minutinho para absorver que o que os nossos olhos estão vendo realmente está ali, e não na nossa cabeça. Depois, vivenciar esse lugar com exclusividade praticamente total — se você não for o único por lá, certamente será um de dois ou três grupos de turistas, no máximo.

(Imagens: Dimitria Prochnow)

Saindo da Marina Al Rowdha, o caminho até Bandar Khayran leva mais ou menos uma hora de barco. No dia do meu passeio, ainda que o tempo parecesse impecável — solzão e nenhuma nuvem, como sempre em Mascate — tinha bastante vento, o que acabou sacudindo o barco durante todo o caminho (para quem fica enjoado com facilidade, pode ser bem cansativo).

Depois de sacudir por uma hora, apareceu Bandar Khayran: uma mini-baía entre montanhas rochosas com água turquesa e quase sem onda nenhuma. A temperatura é ótima para nadar e a água é tão clara que dá para ver os peixinhos sem precisar mergulhar muito fundo. Um dos caras que estava no meu grupo se aventurou a nadar mais longe dos barcos e próximo das montanhas, e disse que chegou a ver uma lula (ainda não sei se acredito nessa parte, mas não é impossível, então…).

(Imagens: Dimitria Prochnow)

Bandar Khayran é o destino perfeito para um passeio de barco tranquilo e a oportunidade de testemunharmais um pedacinho da natureza selvagem de Omã. Para vivenciar a cultura da região com ainda mais intensidade, opte por fazer esse passeio em um barco tipo dhow (embarcação de madeira que antigamente transportava mercadorias mais pesadas). E um extra para quem tem tempo: antes de chegar na baía, aproveite para ir mais longe e tentar ver golfinhos, uma das atividades turísticas mais famosas da cidade.

Dicas para quem planeja fazer o passeio:

  • Fale com a equipe da marina quando estiver agendando o passeio para garantir um dia sem vento forte.
  • Não esqueça dos óculos para ver os peixinhos de perto! Os donos do barco provavelmente terão alguns para emprestar também.
  • Desnecessário dizer que por lá não tem onde comprar nada, então leve com você tudo o que considerar necessário para o dia como óculos de sol, boné ou chapeu, protetor solar, água e e lanches.

Críticas e comentários são sempre bem-vindos! Para entrar em contato comigo, é só mandar um email para dimitriaprochnow@gmail.com

Like what you read? Give Dimitria Back Prochnow a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.