Review: Solomon Kane (2009)

As vezes, buscamos tanto algo tão espetacularmente novo, que nos esquecemos de como é bom ver uma historia com um bom personagem ser bem contado. Esse é o caso de Solomon Kane, personagem baseado nos livros de Robert E Howard, o mesmo criado de Conan, Kull e Red Sonja (que também já tiveram adaptações para as telonas), apareceu pela primeira vez na revista Weird Tales em agosto de 1928.

O filme começa com no seculo 16 com Solomon Kane, como um cruel comandante da frota inglesa, invadindo uma cidade e tomando seu castelo principal. Ele sabe que tem muito ouro por lá, mas outras surpresas aparecem para ele e seu grupo, como demônios e o próprio Ceifador, que reclama a alma de Kane por todas as suas mortes, saques, e desgraça alheia que aconteceu em sua vida. Com medo com o fato que Satã quer sua alma, ele consegue fugir do local, abandonando seus pertences matérias ($$$) e ficando isolado dentro de um monastério.

Mas o destino quis que Solomon saísse e vagasse pelo mundo, até que ele é encontrado por uma família em rumo ao Novo Mundo, onde é acolhido como um deles. Mas o exercito macabro de Overlord, comandado pelo outrora padre e atual feiticeiro demoníaco Malachi, entra no caminho de Solomon rumo a purificação. Enquanto eventos do passado e presente se interligam e mostram que Solomon talvez não tenha mesmo salvação, ele descobre que as vezes o caminho da paz pode sim passar pela guerra…

O filme é uma produção grandiosa, porem sem exageros, e com vários simbolismos bacanas com a religião cristã, principalmente com a ideia de sacrifício e a historia de Abraão, que se encaixam bastante com o que é o personagem. E funciona também filme de ação e aventura bem enxuto, e contando a historia de maneira bem amarrada, apesar de que as vezes dava pra perceber a edição nos diálogos mais compridos que comandam no primeiro ato do filme. Certos clichês do gênero de ação/aventura estão presentes também, mas no caso isso se torna um fator positivo quando eles se misturam com o fator religioso da historia para criar algo interessante a trama.

O filme não é só monstros do começo ao fim, mas quando aparecem fazem bem bem a parte de te deixar tenso na poltrona com bruxas, demônios e vampiros presentes na tela e apresentando um real desafio. Destaque também por elenco, com James Purefoy (que ainda merece muito mais papéis principais), e participações de grandes atores da terra da rainha como Max Von Sidow, Pete Postlethwaite, e um dos meus atores preferidos , Jason Flemyng, como Malachi, com pedaços da Bíblia tatuados na cara e vestimenta quem mistura todas as religiões pagãs possíveis de se imaginar.

No fim das contas, Solomon Kane vale a pena ser assistido: é divertido, é bem feito, com grandes chances de você curtir sabendo que será um bom programa a se fazer. De certo modo é como ouvir aquelas historias ao redor da fogueira sobre lendas antigas, que por mais sejam perigosas e assustadoras, terá um final reconfortante.

Originally published at caveabovethemansion.blogspot.com by Diogo Oliveira.

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.