Heróis de um gol: Bujica

Marcelo Ribeiro, mais conhecido como Bujica, conterrâneo do rei Roberto Carlos,é um atacante revelado no Clube de Regatas do Flamengo. Começou na base em 1983.

No ano de 1989 subiu para o time principal, então comandado pela dupla Zico e Júnior, e com apenas dezenove anos de idade, teve suas primeiras chances em partidas amistosas. O menino da gávea estreou em sua primeira partida oficial, contra o Blumenau, pela Copa do Brasil. Nesta partida o jovem marcou dois gols e já começou a ser visto com outros olhos por todos.

Bujica com Zico no Maracanã credito: Historiador do futebol

No dia 28 de outubro de 1989, o jovem talento, completou suas primeiras oito partidas com a camisa do Fla, esta última, uma derrota para a Portuguesa, que punha o Flamengo em situação delicada no Campeonato Brasileiro. A situação ficava ainda mais complicada, em virtude de o clube ter que enfrentar apenas uma semana depois o Vasco da Gama, que vinha embalado na competição, e que houvera contratado o ex-rubro-negro Bebeto, que antes, prometera uma atuação de gala contra o Fla, que o revelou.

A promessa rubro negra, tinha uma árdua missão pela frente, mas nada diferente do que foi sua vida até agora. As palavras do grande ídolo Zico no vestiário, motivou a todos para que o rubro negro fosse para cima do cruzmaltino incansavelmente.

Com o maraca lotado, a torcida rival motivada com a estréia de Bebeto, sendo o clube da colina considerado favorito para aquela partida, ou seja, o cenário era desfavorável para o rubro-negro carioca. Mas o garoto da Gávea balançou a rede duas vezes, ofuscando a festa cruzmaltina.

Para a tristeza dos rubro-negros, porém, Bujica mais tarde não conseguiria se firmar, e apesar de ter faturado a Copa do Brasil de 1990, foi negociado com o Botafogo, contra vontade do próprio jogador que preferia ter ficado na Gávea, lugar que sempre considerou como sendo a sua casa.

“Depois do Flamengo, tudo parecia pequeno. Fui criado vivendo uma dimensão que nenhum outro clube conseguiria me proporcionar.”

Após a saída do Flamengo, ele perdeu espaço no cenário nacional e encerrou a carreira no clube que o revelou, o Estrela do Norte-ES. Hoje, aos 44 anos, é professor de Educação Física em Rio Branco, capital do Acre.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Diogo Gonçalves’s story.