FOLLOW ME | INTRO

Você mulher (ou gay que bate com o meu bom gosto), se imagine em um lugar energizado, belo, ensolarado e cheio de homens lindos, altos, bronzeados, sarados e sensuais. Morenos e barbados também são maioria por lá — justamente o que eu não curto — só que ao contrário. Todos eles circulam, somente, de roupas leves e brancas — estive no céu? Quase isso.

Que lugar é esse e o que fui fazer lá não vou te contar porque realmente não vem ao caso nesse contexto. Acontece que depois de três dias incríveis nesse quase-céu estou eu de volta à minha amada São Paulo com uma missão, 40 dias sem:

SEXO
Um cara com quem eu saía costumava dizer que se alcançássemos a experiência de unir o espiritual e o físico (ou seja, sem necessariamente rolar penetração) poderíamos chegar a um prazer supremo e prolongado. Além disso, nossa sensibilidade erótica aumentaria significativamente.

Pelas costumeiras garrafas de vinho tinto + a conexão cósmica que tínhamos na época essa teoria nunca foi posta em prática. Why not agora?…

BIRITA
Aí fudeu. Me tira um braço, mas não me tira um drink. Me chama de alcoólatra, de pessoa sem autocontrole, de Santana, Heleninha Roitman, imatura, o que for — me julga. Isso me deixou confusa. Ainda mais em um mês em que São Paulo estava fervida de festinhas e shows, e minha vida social, maravi.

Sei que isso é uó, mas ali no fundo, nunca confiei muito em quem não bebe… Sempre achei que a pessoa tinha alguma história escondida, sabe? E o pior é que alguns (vários) dos casos em pouco tempo se revelaram por algum mistério mascarado, ou passado velado.

E minha última experiência não-alcoólica em uma festa? Altamente traumatizante. Já se passaram alguns bons anos desde aquela noite — se você me conhece minimamente e eu te contar onde estava, por exemplo, dificilmente acreditaria. Enfim, o ponto é que desde esse episódio fiquei com a impressão de que jamais me divertiria novamente totalmente sóbria, seja qual fosse a noitada.

A confusão mental não para por aí, é claro: pensa em um boy tudo, que até que poderia ocupar alguns vários dias da minha agenda dentro dos próximos 40 dias. Como esquivar dos convites dele quando todos (naturalmente) envolvem um birinaite?

Como proceder com os meus momentos de indulgência e felicidade solo de tacinha de vinho, música e escritos que eu tanto amo? Dor.

Foi então que cheguei no foco-mantra-estratégia: secar & economizar. Magreza & riqueza, quero mais nada. Mentira. Quero mais um monte de coisa, mas esse lema pode me manter lindamente concentrada durante 40 dias.

Além disso, várias amigas me serviriam de inspiração por já terem ficado de quarentena por treinos de corrida, dieta, ressaca moral, promessa, ou um momento básico de detox.

Vamos lá! Dia #1: jantarzinho com a tchurma. No whatsapp o papo é reto as usual: vinho no restaurante X que acabou de abrir.

Mesa redonda na varanda, amigas e amigos queridos, uns rostinhos novos bons de ver e meu threesome-qualquer coisa na mão: 
1 dose de tônica sem açúcar 
1/2 limão-taiti com casca
1/2 limão-rosa com casca
1/2 limão-siciliano com casca
1/2 gengibre cortado em lascas 
disfarçados em um copo de dry martini. Não te amei, mas você até que deu pro gasto — deu tanto, que até emendei uma pistinha com a galera.

Antes disso, uma das meninas precisava carregar o celular no boteco do lado. Na pauta, que acabou virando monotemática, o boy-sóporDeus de uma da roda… No caso, por Deus abrir os olhos damiga que conheceu o rapaz há 1 semana (U-M-A. Uma.) e já estava apaixonada. Gente, vem cá, sem querer ser julguiani (já sendo): como se apaixonar por uma criatura que você ainda NÃO conhece?

É claro que eu também já dei dessas, mas é tudo currículo amoroso: um faro para trastes mais aguçado, o gaydar mais ativado, a maravilhosa maturidade de saber o que quer, quando quer, etcetcetc. SEJA LEVE DEIXA IR, mana!

Não sei se foi a condição de estar sóbria nesse contexto, se deu barato dos 3 limões, se foi a coincidência de o nome do cara da mina ser o mesmo do date mais fail da minha vida, se foi tudo junto. Só sei que me ocorreram ~altas histórias de uma vida amorosa tragicômicakkk~ e fez bem pra geral dividi-las, FOLLOW ME.