mais um dia chega, estou viva

muita coisa pra fazer, muita coisa para pensar
aquela loucura de sempre que insiste em querer nos afogar.

Mas tô escrevendo isso aqui para lembrar,
PARA NÃO ESQUECER MESMO

que sempre tem aquele momento que uma música linda te fisga
e você consegue parar e respirar.
Que sempre dá tempo de chorar, enxergar no espelho as próprias lágrimas caindo
e sentir que alivia
Que também acontecem aqueles momentos de você olhar para todas as suas dúvidas
e achar bonitinho ser, humano.
De você sentir uma esperança num plano mirabolante de finalmente entender o que significa liberdade para você
e por alguns segundos você perceber a possibilidade de sentir a liberdade de uma árvore.

Estar bem na confusão
Estar bem na confusão
Nada faz mais sentido que isso
Até porque, a confusão, é a gente que inventa. 
Tá sempre tudo certo…

E que eu siga rezando a oração que Clarice me ensinou:

“Meu Deus, me dê a coragem de viver trezentos e sessenta e cinco dias e noites, todos vazios de Tua presença. Me dê a coragem de considerar esse vazio como uma plenitude. Faça com que eu seja a Tua amante humilde, entrelaçada a Ti em êxtase. Faça com que eu possa falar com este vazio tremendo e receber como resposta o. amor materno que nutre e embala. Faça com que eu tenha a coragem de Te amar, sem odiar as Tuas ofensas à minha alma e ao meu corpo. Faça com que a solidão não me destrua. Faça com que minha solidão me sirva de companhia. Faça com que eu tenha a coragem de me enfrentar. Faça com que eu saiba ficar com o nada e mesmo assim me sentir como se estivesse plena de tudo. Receba em teus braços o meu pecado de pensar.”

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.