Artesanato: metáfora da vida

(decidi começar no médium. pretendo escrever sobre literatura, mas aqui vai um pontapé sobre artesanato)

O homem é um ser fragmentado que necessita de aderência para se formar. Uma das maneiras desta união se concretizar é por meio da arte. Neste chão duro, nesta intensa realidade, nas lutas sociais, nas banalidades cotidianas, a arte resgata o ser humano do seu lugar comum, dá uma nova vestimenta para os seus dias difíceis e o transcende para um tempo não cronometrado.

Construindo a história de comunidades e de povos, o artesanato mantém a identidade do ser humano que o cria. Na arte, a assinatura é a digital do artesão. Ainda que a atualidade seja marcada pelo desenvolvimento da ciência e da tecnologia e por uma consequente aceleração da produção, o cenário de construção da verdadeira arte é o mesmo desde sempre. Ele transpassa tempo e espaço, para alcançar a liberdade de sentimentos no momento da criação. Esta, sempre única e sem similaridade: sua marca é a exclusividade.

E criação é um ato de coragem. É uma combinação da dor e da alegria, da vida e da morte, do amor e do ódio. É a amálgama do presente com o futuro. É sonho e realidade. É o olhar demorado que retira algo de esplendoroso da cena cotidiana. Criar é ter empatia com o mundo, é observar semblantes e necessidades. O que antes não existia ganha vida quando todos esses detalhes são adicionados à alma do artista. É por isso que a arte é metáfora da vida. No artesanato está a vida do artesão. A arte final nada mais é que o reflexo do universo plural visto e sentido pelo criador.

E artesanato é o fio da vida em que a história é construída, através de seu entrelaçamento; é linha costurada na máquina do tempo que une vidas e histórias. Artesanato é a multiplicação da vida, a soma do outro, a perda de muitos. É partida. É chegada. É, ainda, o divã para o abatido, o alívio para o fatigado, é coragem para o desanimado. Sorte tem quem aproveita o que muitos jogam fora. As melhores peças nascem do que ninguém quis ou pensou.

A arte esconde o mistério da vida e do mundo. Os curiosos são os privilegiados que se permitem aventurar por esses locais em que os sentimentos e os sentidos valem mais do que palavras e vivências.

_Marialda Almeida

texto originalmente escrito para o site @comprodequemfaz da @tanlup

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Mary Almeida’s story.