Querida Djessyka-de-dez-anos-de-idade,

Não sei se você me conhece. Talvez eu tenha mudado tanto, você não sabe mais quem sou eu. Talvez eu não tenha mudado nada e você sabe exatamente quem sou eu. Por via de todas as dúvidas, eu sou você aos vinte e três. E precisamos conversar.

Djessyka, sua cabeça está sempre uma bagunça. Seus pensamentos são desorganizados. Você vai passar o dia pensando três coisas ao mesmo tempo, vai tentar fazer duas, e não vai conseguir fazer nenhuma. Você vive em vários mundos e vai ter que aprender a conviver com eles. Você é distraída e ao mesmo tempo tão sensível que qualquer joão-de-barro é capaz de te colocar em outro universo por horas a fio.

Você vai amar as pessoas. Perdidamente, desesperadamente. Elas entram fácil no seu coração. Algumas vão te virar as costas e você vai sofrer. Seus sentimentos triplicados vão te sufocar quase que fisicamente, mas não se desespere, isso vai passar. Esse tipo de sentimento não dura pra sempre.

Existem ainda pessoas que estão de passagem. Vão deixar marcas lindas e profundas em você, mas vão partir. Você vai lembrar delas com frequência e certa dor lancinante. Aprenda o máximo com estas pessoas, porque quando partirem não vão mais voltar. Nem por um dia. Nem por cinco minutos. Talvez nos seus sonhos, mas sua cabeça é sempre tão confusa.

Você precisa ouvir mais do que falar. Sempre. As pessoas têm histórias pra contar e elas precisam fazer isso. É doce ouvir. Não sei como funciona para outras pessoas, mas histórias fazem você crescer. Você é movida de histórias, seus sei-lá-quantos-mundos precisam de histórias pra continuar existindo. Cabe tudo isso dentro do seu coração.

Algumas pessoas, ainda, vão permanecer. Vão ficar ao seu lado independente do momento da sua vida. Às vezes elas vão mudar quase que radicalmente, mas vão continuar incansavelmente ao seu lado. Você vai entender o quanto são incríveis, mas isso você descobre com o tempo. Aliás, o tempo vai ser importante pra você, ele ameniza e alivia tudo que você sente, mesmo que pareça um monstro.

Seu jeito é assim mesmo. Você não é de comprar muita coisa, nem usar muita maquiagem. Você não é muito ambiciosa, nem materialista. Em alguns momentos da sua vida você vai se sentir igual. Você não é de mudar muito, não sofra com isso. Quando você tiver vontade, pode tentar mudar alguma coisa, é natural.

Você ainda não sabe quem vai escolher amar pro resto da vida. Sinceramente, nem eu sei. Você pode amar meninos, pode amar meninas, isso não importa. O que importa, no fim das contas, é ter tido a capacidade de amar.

Algumas pessoas se apegam muito fácil a você. Em alguns momentos isso pode ser bom, em outros um pesadelo; você não quer magoar ninguém.

Djessyka, não se desespere. Matérias acumulam, crianças crescem, namoros terminam, pessoas partem. Você não consegue controlar tudo que acontece. O mundo não está no seu controle. Situações precisam ser confusas às vezes.

Vai ser difícil ser mulher no mundo em que você vive. Vai ser difícil ser mulher à noite, vai ser difícil ser mulher no ônibus, vai ser difícil ser mulher na rua. Você vai ler notícias tão podres que vão te fazer chorar e odiar ter nascido mulher. Mas você precisa continuar.

Você vai se sentir sozinha, incapaz, inferior, mas eu preciso te lembrar que você não é nada disso. Você é capaz de muitas coisas; às vezes o que você precisa é largar o que está fazendo, levantar e respirar um pouco (sério, você vai precisar fazer isso muitas vezes). Você precisa entender que ninguém é melhor que você e você não é melhor que ninguém. O sol nasce pra todos e, por incrível que pareça, ele nasce pra você também.

Djessyka, você não vai salvar o mundo. Injustiças vão acontecer diante dos seus olhos e, na maioria quase esmagadora das vezes, você não vai fazer nada. Não por falta de vontade, mas porque simplesmente não convém abraçar causas que já estão ganhas por quem não vale a pena. Sei que é desanimador ler esse tipo de coisa, já que você tem só dez anos de idade, mas o mundo anda tão deturpado que é difícil manter a esperança na humanidade.

Você não vai salvar o mundo, é verdade. Mas vai fazer muita coisa boa ao longo da sua vida. Felizmente, ajudar os outros é o que move você, você vai aprender muito disso com a sua mãe.

Você não tem um dom e precisa se acostumar com isso. Quando você quiser muito aprender uma coisa vai ter que ir atrás e repetir até a exaustão. Mas vai conseguir porque, como eu disse antes, você é capaz do que quiser.

Ninguém realiza cem por cento dos sonhos, Djessyka. Alguns você vai conseguir realizar, outros não. Não posso te falar muito porque ainda tenho vinte e três anos, sou capaz de realizar mais alguns sonhos que nem preciso te contar quais são, você já conhece a maior parte deles.

Às vezes as pessoas vão precisar de você, e você precisa ser sensível o suficiente pra perceber isso. Você ama sem querer nada em troca e isso é um grande ponto a seu favor. Nunca deixe que meia dúzia de decepções tirem de você essa capacidade de amar, e nem que a maldade do mundo tire a delicadeza da sua alma.

Só mais uma coisa: quando você enfim enjoar das bonecas, você vai guardá-las no forro da casa. Não chore, mudanças precisam ser feitas e as bonecas vão ficar bem lá.

Com amor,

Djessyka-de-vinte-e-três-anos-de-idade.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.