Somos Semelhantes. Iguais e diferentes.

Assisti recentemente o filme “O Jogo da Imitação” que conta a história da vida de Alan Turing. Já o conhecia, não pela sua personalidade, mas sim pela sua contribuição à Ciência da Computação.

Todos nós que fizemos computação ouvimos falar dele, e como que de uma maneira muito profunda, ele pode ser chamado como “pai da computação”.

Mas o que não conhecia, era sua personalidade. Admito que já sabia sim que ele era gay, e que havia contribuído para a quebra da máquina Alemã de criptografia (Enigma) pois já tinha lido o livro (muito bom por sinal, até para leigos) sobre criptografia: “O Livro dos Códigos — Simon Singh”.

Entretanto uma parte mais romantizada do filme, mostra as dificuldades que ele passou. Acredito que muito pior do que ter sido homossexual na época que viveu, o maior problema foi sua falta de habilidade social.

Quem é de Exatas em geral conhece o perfil de alguém como Turing. Muito inteligente, pouco sociável. Não é raro conhecermos esse tipo de pessoa. Normalmente com o tempo, as pessoas vão se adaptando ao mundo.

Eu fico pensando, será que ao desenvolver demais uma área do cérebro, como raciocínio lógico, memória, etc… isso é às custas de uma outra parte? Talvez uma parte mais social, de relacionamento?

É muito estranho. Parece até que fomos selecionados naturalmente para sermos burros. Ou pelo menos, não gênios. Parece que os gênios não podem ter também uma habilidade de relacionamento acima da média também? Não podem ser atraentes para o sexo oposto? (Ou no caso do Turing, mesmo sexo?) Analisando do ponto de vista biológico da evolução, o que importa é passar os genes para frente.

Por que todos nós, nos sentimos incomodados com pessoas diferentes? Gostaria muito que o ser humano fosse uma espécie que olhasse com outros olhos quando se deparasse com seus semelhantes (isso mesmo: semelhantes, pois somos iguais em vários aspectos, mas diferentes em muitos outros) e notasse um comportamente diferente. Não generalizo, lógico que um comportamento social aceitável é formado por uma comunidade. Mas há a necessidade de violência, isolamento, bullying, whatever o termo?

As vezes, é uma falta de habilidade de se comunicar apenas. Por que não fechamos os olhos para o exterior, e tentamos as vezes apenas olhar para a índole da pessoa? Acredito muito que as pessoas são boas no fundo.

Fiquei muito triste ao ver o fim da vida de Turing. Eu já sabia. Mas interpretação me tocou mais. Sim, sei que não era socialmente aceitável à epoca ser gay. E que os remédios que ele tomava acabaram por levá-lo ao total ostracismo e enfim, suicídio.

Mas de novo: Não é só o homossexualismo. É sua maneira de se portar. Era Arrogante? Sim. Era duro e direto? Sim. Era cruel? Sim.

Por que? Por que era o comportamento lógico nas ocasiões.

Era arrogante por que realmente era bom no que fazia e não se escondia atrás de falsa modéstia.

Era duro e direto porque falava na cara das pessoas o que achava. Falava que as pessoas eram medíocres, e que só iriam atrapalhá-lo. No filme mostra ele sendo totalmente desligado da opinião alheia e fazendo exatamente como um computador faria: Ignorando o tato humano nas decisões.

Era cruel porque ele toma uma decisão no filme que leva algumas pessoas morrerem, entretanto com o intuito de salvar milhões.

Mas… se não fosse por ele, SEM DÚVIDA teríamos um mundo MUITO diferente hoje, com quem sabe, até uma vitória do nazismo.

Então eu penso… COMO QUE NÃO TEMOS canções sobre pessoas assim? Como não são EXEMPLOS?

Ok, era tudo secreto até algumas décadas atrás… mas… não justifica.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Diogo Kamioka’s story.