Parei de contar…


Oi pessoas! Fico feliz por estar aqui (viva) para contar novamente para vocês como andam as coisas no meu processo de não ser trouxa por um dia.

Confesso que tem sido bastante dificil e doloroso. Não da para deixar de ser trouxa da noite para o dia. É um vicio muito forte! Mas continuamos na luta companheiros, por isso voltei a esta reunião dos T.A. para dar novamente o meu depoimento.

Durante estas semanas, já fiz 1 milhão de coisas, como por exemplo: chorar, relembrar, chorar, odiar, chorar, gritar, chorar, deletar, chorar, excluir, chorar, beber como se nao houvesse amanha, chorar mais ainda, emagrecer, chorar, falar com os amigos, chorar, lamentar, chorar, pensar, chorar…

Hahaha viu? Muitas coisas! Mas a cada dia que passa tudo vai clareando, vai doendo menos, vai me dando uma sensação de libertação. Eu estava tão cega que era incapaz de perceber o mal que o Exú fazia na minha vida. Me fazendo tomar a minha dose diaria de trouxa.

Escutei muitas coisas durante estes dias. Mas teve uma que me tocou muito e é nela que estou me agarrando como uma solteira pedindo a Sto Antonio um casamento:

-Voce não sabe o favor que ele te fez em ir embora.

Sim! Sabe aquela brincadeira antiga que a pessoa é colocada na cabine sem ver nada com um fone no ouvido, onde o apresentador diz: Voce troca isso por aquilo? E você tem que responder quando a luz se acende: Siiiimmmm! Nãoooooo!

Então, me sinto exatamente assim. Ele (o apresentador) perguntou: Dois, voce troca esta vida de trouxa e escravidão por uma vida feliz? Eu respondi: Nãooooooo!!! — a platéia em delirios de tanto rir.

Dois, voce troca esta vida de trouxa e escravidão por uma facada no seu peito sem direito a defesa que vai matar esta merda toda na marra? Eu: Simmmmm!!! -a plateia tipo ohhhhh! Que louca!

E a brincadeira termina e o apresentador me tira da cabine em colicas de tanto rir, e diz: Toma aqui o que voce escolheu! Vai viver agora, sua ridícula! Vai ser feliz! Eu olho para o publico, envergonhada, com a minha farpa de dignidade (pois so isso restou) e mantenho a cabeça para baixo. Sigo chorando para o colo dos meus amigos e família.

Contudo, porem, nao sendo trouxa por mais 1 dia.

Beijos! Siiiiimmmmmm!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.