epifania número 1 - estrada

sobre fortuna e amores passarinhos

entreguei meu coração nas mãos de um forasteiro
e esperei que ele fizesse do meu corpo sua morada.
como esperei durante anos que passasse a caravana cigana que me pusesse a dançar à luz da fogueira, mais uma vez.
há tempos que só o que vejo na estrada é poeira e vento.
e os pássaros que voam juntos, toda vez que o dia amanhece em paz.
as noites vão e vêm, esta é a única certeza.
assim como é certo o caminho de terra batida que segue, definitivamente, para algum lugar.
dia a dia, sigo colhendo flores e encontrando caminhantes fora de rota.
assim como a caravana, 
eles chegam,
fazem festa,
e partem, no dia seguinte.
deixando a lenha ainda quente,
música
e sândalo no ar:
passageiros 
nesse caminho torto em que minhas pernas dançam, ainda trêmulas de ontem à noite. 
às vezes, penso no conforto do pouso na estrada.
às vezes, nas tantas paisagens que eu ainda quero conhecer.
passar a vida dançando ao redor do fogo não me parece tão mal. mas bailar amores passageiros, embora seja de um frescor delicioso, uma hora cansa.
como cansa despir-se, 
toda noite, 
pela primeira vez.
sinto ter chegado ao fim da linha das madrugadas mambembes.
não quero mais um amor passageiro que desça na próxima estação.
quero um amor passarinho que tope voar o mundo junto.


Domitila Gonzalez é atriz, professora e bordadeira. Gosta de astrologia, cartas e física quântica. Esta semana, está colocando a culpa na Lua em Câncer.

Like what you read? Give Domitila Gonzalez a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.