Quantos gritos cabem no teu silêncio?

Ihhh seguindo na trilha do texto anterior, vamos lá.

Como seria bacana dispormos de equalizadores que simplesmente controlassem nossas emoções. Um clique. Um botão mute que silenciasse a voz dos outros ou a nossa própria voz. Um autofalante que gritasse e escancarasse nossos gritos no silêncio quando já não temos mais coragem de encarar nossos silêncios.

Como seria incrível colocar os medos no volume adequado, se livrar dos risos que não deveriam ter saído numa hora ruim, rir e chorar com mais verdade em tantas e tantas situações.

Também valeria um Delete retroativo das vezes que falamos o que não devíamos falar. Um encaixe igualmente preciso dos abraços que deixamos de dar. Refazer o pedido de desculpas, cancelar o desabafo a quem não se importou… Eita! Caramba! Queríamos certamente mais que saber lidar com as emoções, nosso querer é reside em achar que se tivéssemos uma chance de voltar no tempo faríamos tudo diferente.

O desejo de deixar as alegrias em volume alto e tons mais nítidos. O desejo de calar as falhas, os medos, os arrependimentos. É preciso aprender a se aturar nos dias ruins! Entender a diferença entre solitude e solidão. Saber como estender a mão a alguém que se chama você mesmo e perceber que a lama da bad jamais foi obrigatória, sempre e sempre nós que nos abandonamos lá.

Existe algum tipo de pessoa blindada contra as emoções? Deve ser alguém seco e insuportável aquele que diz jamais estar triste. Somos frágeis. Pare de se cobrar tanto. A verdade é que os botões existem e estão na nossa mente e costumam bagunçar dias que pareciam tão tranquilos.

Vamos achar a maneira de minimizar as aflições e vamos perdê-la vez após vez. Vamos ver que temos muitosss motivos para estar alegres e vamos se deixar ser vendados diversas vezes.

Você é extremamente maduro para alguém exatamente da forma que é extremamente imaturo pra outro. Mais uma vez repito: não se cobre tanto. Você é você e os outros são os outros. Cada um na sua? Jamais. Mas cada um aprendendo que o outro sente sofre ri e chora como qualquer outro alguém.