Na aula de inglês eu deveria fazer uma redação sobre uma pessoa especial ou algo desse tipo. Então eu comecei três textos diferentes e nenhum me agradou por causa dos tópicos dos temas. Será que eu sou tão superficial e previsível assim para que a pessoa que eu mais quero conhecer é minha atriz favorita que eu venero com toda a minha alma ou que a pessoa que eu mais admiro é minha avó por ela ter tido um passado difícil e me ensinar hoje a ser feliz com o pouco que eu tenho? Ou até mesmo que a pessoa que mudou a minha vida foi a última pessoa de quem eu gostei que abriu as portas da minha mente e me deu capacidade de escrever de novo? Será que eu sou assim tão pré programada? Será que eu sou apenas mais uma pessoa vazia vagando por aí? Uma pessoa assim, preta e branca? Eu, que sempre me achei tão colorida perto dos padrões, tão maluca e estranha? Será que adiantou em algo tudo que eu fiz ou não para ser diferente? Será que o nosso mundo vai viver nesse ciclo? Seremos todos programados e padronizados? Será que posso ser julgada por não querer ser igual? Será que eu posso reclamar ou isso também é só mais um padrão?

Like what you read? Give Isadora Poncio Vargas a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.