AQUI NESTA RUA

Aqui nesta rua sem saída

Há uma poluição que um só inala

Há uma algazarra

Que um só ouve

Nesta rua barulhenta

Não se vê

Um só objeto

Emitindo som

Tudo o que vive nesta rua

É o latente eco sólido

Nesta rua de velhos paralelepípedos

Cavalgam guerreiros solitários

Gritando pelos cantos sombrios

Nesta rua de velhas histórias

Uivos de animais transparentes

São ouvidos nesta rua sem saída

Tapetes que escondem sujeiras

Forram esta rua esquecida

Chamas de sete mil fogueiras

Queimam — invisíveis — nesta rua

Gotas do mais frio líquido

Alagam as entranhas desta rua seca

Há vida nesta rua

Escondida entre os prédios nus

Há realidade em cada rachadura

Deste chão cravado de amargura

Aqui nesta rua sem saída

O tempo míngua

A vida finda

E ela é só de ida

Aqui nesta rua sem saída

Ocorrem partidas

Dolorosas despedidas

Aqui nesta rua sem saída

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.