Balé do Amor

Meio sorrisos
Jogados ao léu
Olhares de estrelas
Pontilhadas no céu

Singelos toques
Dedos que rimam
Formam versos e estrofes
Corpos se encaixam

Suspiros quentes
Abraços de serpente
Forte e constante
Vivos naquele instante

Depois, risos de criança.
Inocentes em sua essência
Daqueles que deixam
Os pássaros cheios de esperança

Show your support

Clapping shows how much you appreciated DOUGLAS’s story.